NUNCA MAIS PASSE RAIVA POR NÃO CONSEGUIR RESOLVER UM PROBLEMA COM O EXCEL - GARANTIDO!

UNIVERSIDADE DO VBA - Domine o VBA no Excel Criando Sistemas Completos - Passo a Passo - CLIQUE AQUI

Você está em: PrincipalTutoriaisRodrigosfreitas : Conhecendocontabilidade074
Quer receber novidades e e-books gratuitos?

FILTRO DE TUTORIAIS:


 

Grupos do Balanço Patrimonial – 10.ª Parte

 

No tutorial passado finalizamos o nosso estudo sobre os grupos de contas do ativo, no presente tutorial vamos elaborar, um resumo rápido sobre os grupos do Ativo Realizável a Longo Prazo e Ativo Permanente e suas sub-divisões, finalizaremos com alguns exercícios para fixação.

 

Resumo sobre o Ativo Realizável a Longo Prazo:

 

Basicamente poderíamos resumir o grupo do Ativo Realizável a Longo Prazo, como o grupo que apresentará o saldo das contas que se realizarão após o termino do exercício social seguinte.

 

Logo, um fator básico para que possamos compreender a correta classificação das contas de ativo realizável a longo prazo é saber determinar quando acaba o exercício social seguinte, e lembrar que tudo o que tiver previsão para se realizar após essa data deve ser classificado neste grupo.

 

Ainda serão classificado no ativo realizável a longo prazo, os empréstimos ou adiantamentos, a sociedades coligadas e controladas.

 

Lembrando que sociedades coligadas, são aquelas, onde uma participa do capital social da outra com 10% ou mais, sem no entanto controlá-la, e sociedades controladas, é quando uma direta ou indiretamente, é titular de direitos de sócios (possue ações ou cotas do capital, o que por si lhe garante direitos como sócio), que lhe assegurem, de modo permanente, preponderância nas deliberações sociais e o poder de eleger a maioria dos administradores, assim entendido como uma empresa possuem a maior parte das ações ou cotas do capital social de uma empresa (direta ou indiretamente), onde assim por se titular ou sócio da empresa, conseqüentemente essa condição será permanente pode uma empresa não pode ser sócio somente durante algum tempo, nas decisões das empresa (deliberações), e como detém a maior parte do capital social ou das ações da empresa, tem assim também o direito de determinar quais serão os administradores.

 

Os empréstimos ou adiantamentos aos direitos, acionistas ou outras pessoas que participem do lucro da empresa, também serão classificados no ativo realizável a longo prazo, exceto quando essas operações forem o objeto (finalidade) da companhia.

 

Vamos agora ver um resumo do PERMANENTE.

 

Resumo sobre o Ativo Permanente:

 

Antes de qualquer coisa, temos que lembrar sempre, que o ativo permanente possui 3 sub-grupos que são:

 

INVESTIMENTOS

 

IMOBILIZADO

 

E o DIFERIDO.

 

Para que uma conta seja classificada no ativo permanente – investimentos, só existem duas possibilidades, vejamos a primeira:

 

No sub-grupo investimentos, serão classificados as participações em outras empresas, mas essas participações para serem classificadas nesse grupo devem ter uma característica básica que é a permanência, ou seja, a empresa participa de outra de modo permanente, o que é diferente da empresa ter a intenção de comprar algumas ações (assim estaria participando de outra empresa), mas com a intenção de revende-las depois.

 

E a segunda é:

 

Quando existe um direito de qualquer natureza, que não serão pode ser classificado no ativo circulante, e também não tem nada haver com a manutenção da atividade da empresa.

 

Um outro detalhe importante é que quando a empresa possui um bem ou direito, que não seja relativo a sua atividade, classificado no ativo circulante, ela esta indicando que tem a intenção de vender tal bem ou direito.

 

Vamos agora ao resumo do segundo sub-grupo possível, que é o IMOBILIZADO:

 

Neste vimos que serão classificados os bens que a empresa possuiu e os quais são utilizados na atividade da empresa, seja diretamente ou indiretamente, por exemplo, podemos citar numa industria de confecções as máquinas de costuras estão diretamente ligadas a atividade da empresa, mas o computador do área administrativa não, porém de acordo com o que diz a lei, o computador da área administrativa, tem como finalidade auxiliar a atividade, portanto também será classificado no imobilizado.

 

E finalmente temos que também serão classificados no ativo permanente os bens ou direitos, relativos a propriedade industrial ou comercial, tais como as marcas, as patentes, o ponto comercial ou o nome comercial, sendo que em relação a estes, tem um detalhe importante.

 

Esses ativos ligados a propriedade industrial ou comercial, devem ser reconhecidos pelo mercado, ou seja, não basta você simplesmente montar uma empresa, registra uma marca e dizer que ela vale R$ 1.000.000,00 e assim registra ela no seu ativo imobilizado.

 

Você só vai registrar uma marca, uma patente, um ponto comercial ou um nome comercial, em seu ativo imobilizado quando você realmente o comprar.

 

Por exemplo, vamos supor que a nossa empresa tenha comprado a marca COCA-COLA, assim a coca-cola, vendeu a marca, o logotipo, para a sua empresa, assim você pode a partir de agora, colocar essa marca em seu refrigerante.

 

A patente a mesma coisa, você compra ela é pode assim registrá-la em seu ativo imobilizado.

 

O mesmo com o ponto comercial, por exemplo: Eu tenho a única empresa de borracheiro, na beira de uma estrada cheia de buraco, onde passam milhões de carros por dia, ora eu tenho assim um excelente ponto comercial, que eu posso vender a uma pessoa, supondo que o terreno onde está montado a minha borracharia vale R$ 10.000,00. Mas como eu tenho a vantagem de ser o único a ter esse serviço, eu posso cobrar simplesmente R$ 50.000,00 por tudo, sendo R$ 10.000,00 pelo terreno e o restante seria o valor do ponto comercial. Assim a empresa que o comprasse registraria dois ativos permanentes – imobilizado, um relativo ao terreno e o outro relativo ao ponto comercial.

 

Vamos agora ao resumo do último grupo do ativo permanente o DIFERIDO.

 

Neste grupo, o qual vimos com detalhes nos dois últimos tutoriais, serão classificados os gastos em despesas que contribuirão para a formação de resultados em mais de um exercício social. E também os juros pagos ou creditados aos acionistas durante o período em que a empresa não esta em atividade.

 

Como vimos um dos exemplos mais simples de um lançamento que seria classificado no ativo diferido, seriam os gastos em despesas pré operacionais, ou seja, aqueles gastos necessários para se colocar a empresa para funcionar, como vimos anteriormente, esses gastos devem ser lançados no ativo diferido ao invés de apropriados diretamente como despesas, isso porque se lançados dessa forma, a empresa apresentaria um prejuízo mesmo antes de começar a produzir, quando a essência dessa operação não seria exatamente essa ou seja, a empresa esta investindo, e lógico que durante esse período ela terá alguns gastos.

 

Então esses gastos devem ser ativados e posteriormente apropriados (reconhecidos) como despesas.

 

Outra situação descrita na lei para registros no ativo diferido, seriam os juros pagos ou creditados aos acionistas durante o período que antecede a entrada em operação da empresa.

 

Primeiro cabe lembrar que a diferença básica entre os juros pagos e os juros creditados, no primeiro, o valor dos juros foram efetivamente entregues a quem de direito, enquanto que no segundo, juros creditados, estes ainda não foram efetivamente entregues, mas estão disponíveis para tanto.

 

Esses juros são uma espécie de retribuição pelo dinheiro, que os acionistas emprestaram a empresa, e quando a empresa começar a operar e tiver lucros a serem distribuídos, estes serão compensados com os juros já pagos ou creditados.

 

Quando a empresa começar a funcionar os gastos lançados no ativo diferido devem começar a ser reconhecidos como despesas, o termo técnico para isso, é APROPRIADOS, ou seja, esses gastos começarão a ser apropriados como despesas (AMORTIZADOS), veremos mais adiante como é esse processo.

 

Vimos também que os gastos no ativo diferido devem ser mantidos ali, sempre que a empresa tiver a expectativa de que aqueles gastos trarão resultados no futuro, se por algum motivo aqueles gastos diferidos, se mostrarem inviáveis, ou seja, não trarão resultados suficientes para amortiza-los, estes devem ser reconhecidos de imediato como despesas, resultando assim num possível prejuízo.

 

Para finalizar, o momento ideal para a empresa começar a amortizar os gastos, é quando a empresa faz a primeira venda do seu produto, isso porque se começarmos a amortizar os gastos diferidos no momento em que a empresa tivesse condições de operar, poderíamos acabar registrando essas despesas no período em que a empresa esta testando seus produtos, logo, não esta gerando resultados, amortizando os gastos a partir da primeira venda, não há mais o que se falar, a partir de agora os gastos estão efetivamente trazendo resultados.

 

Vamos agora fazer alguns exercícios para fixação do que aprendemos até o momento.

 

Exercícios de fixação

 

1 – Em que grupo de contas devem ser classificadas as seguintes operações?

 

a) Aquisição de copiadoras para o escritório da empresa?

 

b) Gastos em despesas que se realizarão no curso do exercício social subseqüente?

 

c) Empréstimos a coligadas?

 

d) Empréstimos a diretores?

 

e) Empréstimos a funcionários?

 

f) As parcelas de uma venda que se realizarão daqui a 3 anos?

 

g) A compra de maquinas para a fabricação de produtos?

 

h) A compra de um terreno para a instalação da fabrica?

 

i) A compra de um terreno, que será utilizado no futuro?

 

j) O que é uma empresa controlada?

 

k) Qual a diferença entre controlada e coligada?

 

l) Quais os grupos que compõem o Ativo Permanente?

 

m) Quantos GRUPOS possui o ativo?

 

n) Qual o ultimo grupo que deve ser apresentado no ativo diferido?

 

o) Qual a característica básica para que um lançamento seja classificado no ativo permanente, sub-grupo imobilizado?

 

2 – Uma empresa possui uma obra de arte, a qual não faz parte dos itens necessários a sua atividade, em qual grupo de contas essa obra de arte deve ser apresentada?

 

3 – Se a empresa tiver a intenção de vender essa obra de arte, onde deve ser feita essa classificação?

 

4 – Partindo do balanço abaixo:

 

 

a) Reorganizem o mesmo, para que fique de acordo com legislação, para tanto separem as contas por grupos e sub-grupos quando tiver, lembrem-se que colocar o nome do grupo ou sub-grupo e totalizar os valores deles também. Para tanto observem as considerações abaixo:

 

1 – O adiantamento efetuado ao diretor da empresa, é relativo a um pagamento pessoal do mesmo, e será reembolsado pelo no inicio do mês seguinte.

 

2 – O valor da conta de clientes, é composto da seguinte forma: R$ 500,00 serão recebidos, até o final do primeiro semestre do ano seguinte, R$ 300,00 no segundo semestre e o restante, no primeiro semestre de 2007.

 

3 – A conta de veículos, é composto do saldo de 2 veículos, sendo um no valor de R$ 3.500,00 e o outro no valor de R$ 2.000,00. Sendo que a empresa está vendendo o segundo veículo, para efetuar a troca por um modelo mais novo.

 

4 – Os gastos com estudos são relativos um projeto de um novo produto.

 

5 – Os empréstimos a funcionários serão descontados em 15 parcelas mensais, sendo a primeira a ser descontada no mês de janeiro.

 

6 – Dentro do estoque da empresa (uma fabrica de moveis) tem um móvel de escritório, avaliado no valor de R$ 650,00, sendo que a empresa resolveu que não vai mais vender o mesmo, utilizará ele para a recepção da empresa.

 

b) Com o balanço já organizado, respondam as seguintes perguntas:

 

1 – Qual dos itens dos grupos do ativo tem maior valor?

 

2 – A situação financeira da empresa aparenta estar boa?

 

3 – Quanto a empresa tem de disponível?

 

4 – Quanto a empresa tem para receber de clientes?

 

5 – Qual o valor que a empresa espera receber de clientes, dentro do exercício social seguinte?

 

6 – Qual o valor que a empresa espera receber de clientes, após o exercício social seguinte?

 

7 – A empresa possui outros valores a receber além dos clientes?

 

8 – E após o exercício seguinte?

 

9 – Conforme dito acima a empresa esta vendendo um veiculo para a troca por um modelo mais novo, supondo que ela conseguiu vender o mesmo pelo valor que este estava avaliado contabilmente, sendo que um veículo novo provavelmente custará um pouco mais, de quanto você (opinião pessoal) acha que a empresa poderia investir além do que conseguiu com a venda?

 

Vamos ficar por aqui no próximo tutorial faremos as correções, com exceção da ultima pergunta acima lógico, porque se trata de uma opinião pessoal, portanto cada um terá uma resposta.

 

O importante é que essa decisão seja efetuada baseada nos dados extraídos do balanço patrimonial. Assim você verá como é possível tomar decisões baseadas nos dados extraídos dos relatórios contábeis.

 

Ok?

 

Então, até a próxima.

 

Quer receber novidades e e-books gratuitos?

Cursos Online

  • Banco de Dados
  • Carreira
  • Criação/Web
  • Excel/Projetos
  • Formação
  • + Todas as categorias
  • Contato: Telefone: (51) 3717-3796 | E-mail: webmaster@juliobattisti.com.br | Whatsapp: (51) 99627-3434

    Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda | CNPJ: 08.916.484/0001-25 | Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 - Universitário, Santa Cruz do Sul/RS, CEP: 96816-208

    Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2020 ®

    [LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

    APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI