NUNCA MAIS PASSE RAIVA POR NÃO CONSEGUIR RESOLVER UM PROBLEMA COM O EXCEL - GARANTIDO!

UNIVERSIDADE DO VBA - Domine o VBA no Excel Criando Sistemas Completos - Passo a Passo - CLIQUE AQUI

Você está em: PrincipalTutoriaisRodrigosfreitas : Conhecendocontabilidade034
Quer receber novidades e e-books gratuitos?

FILTRO DE TUTORIAIS:


Avaliação de Mercadorias – 2.ª Parte

 

Correção do Exercício:

 

Vamos corrigir os exercícios do tutorial passado:

 

O exercício era o seguinte:

 

Continuando o preenchimento da planilha, registre as seguintes operações:

 

1 – Venda de 30 unidades, no dia 13.

2 – Venda de 5 unidades, no dia 13.

3 – Compra de 20 unidades a R$ 22,00 no dia 14.

4 – Venda de 25 unidades, no dia 17.

5 – Venda de 5 unidades, no dia 18.

6 – Compra de 6 unidades a R$ 25,00, no dia 20.

7 – Venda de 10 unidades, no dia 21.

8 – Venda de 2 unidades, no dia 22.

 

A planilha para continuar o preenchimento era essa:

 

 

Correção:

 

A primeira operação a ser registrada era a venda de 30 unidades no dia 13.

 

Observação: Somente por questões de espaço vou apresentar somente a parte da planilha que interessa para a correção. Ok?

 

 

Tínhamos em nosso estoque, dois lotes de mercadorias, um com 49 unidades (mais antigo), e o outro com 20 unidades mais recente.

 

Como estamos trabalhando com o método do UEPS, temos que dar baixa nas mercadorias que entraram no estoque por ultimo, ou seja, a aquisição mais recente.

 

Logo, pelo enunciado, temos que dar baixa em 30 unidades, porém a aquisição mais recente, o segundo lote, só tem 20 unidades, então baixamos essas 20 unidades e complementamos as 10 unidades faltantes com o primeiro lote.

 

Nesse momento, ficamos somente com um lote de mercadorias, em nosso estoque, com 39 unidades.

 

Vamos a próxima operação, que era a seguinte:

 

2 – Venda de 5 unidades, no dia 13.

 

Nossa planilha ficaria da seguinte forma:

 

 

Na presente operação baixamos mais 5 unidades, a R$ 10,00 cada, como só tínhamos um lotes de mercadoria, em nosso estoque, baixamos as 5 unidades vendidas desse lote, ficamos agora com 34 unidades a R$ 10,00.

 

A próxima operação era:

 

3 – Compra de 20 unidades a R$ 22,00 no dia 14.

 

Nossa planilha ficaria da seguinte forma:

 

 

Ficamos agora novamente com dois lotes de mercadorias, em nosso estoque, um com 34 unidades a R$ 10,00, lote mais antigo, e o outro com 20 unidades a R$ 22,00, lote mais recente.

 

Vamos a próxima operação:

 

4 – Venda de 25 unidades, no dia 17.

 

Nossa planilha ficaria da seguinte forma:

 

 

Vejam que tivemos que dar baixa em dois lotes de mercadorias, na primeira baixamos 20 unidades e na segunda mais 5 unidades, para complementar as 25 unidades vendidas, nesse momento voltamos a ficar com somente um lote de mercadoria em nosso estoque.

 

Vamos ver as próximas operações, vou colocar a planilha totalmente preenchida para podermos finalizar a correção.

 

As operações eram as seguintes:

 

5 – Venda de 5 unidades, no dia 18.

6 – Compra de 6 unidades a R$ 25,00, no dia 20.

7 – Venda de 10 unidades, no dia 21.

8 – Venda de 2 unidades, no dia 22.

 

Nossa planilha ficaria assim:

 

 

Temos assim a nossa planilha totalmente preenchida, de acordo com o método UEPS.

 

Vamos agora conhecer um outro método de avaliação de estoques, chamado de Custo Especifico ou Custo Real

 

Custo Específico ou Custo Real:

 

A metodologia utilizada nesse método de avaliação de estoque é de baixarmos do estoque o custo exato de quanto custou tal mercadoria, esse critério é utilizado quando é possível identificar com grande facilidade quanto custou cada mercadoria, por exemplo na venda de veículos, ou de casas, é possível facilmente identificar o custo de cada um desses itens.

 

Em alguns casos esse critério é obrigatório, a exemplo a venda de veículos usados, pois se as empresas utilizarem esse critério consegue reduzir os seus impostos que pagam na venda de cada veiculo.

 

Quando a quantidade de itens a controle é grande esse critério se torna impossível, imagine um mercado ou uma papelaria conseguir controlar o custo especifico de cada item vendido, é inviável.

 

Em alguns casos, em alguns casos, a empresa nem precisa possuir o controle de estoque, pois é tão fácil identificar o custo da mercadoria, que é desnecessário o controle, por exemplo, uma loja de veículos que tenha 10 carros em estoque, agora uma loja de veiculo de tenha 100 carros em estoque, já é outra situação.

 

O importante é que a empresa tenha como identificar o custo da mercadoria, de alguma forma, ora, identificar um imóvel, pelas suas próprias características ou pelo endereço e fácil, ou um veiculo de acordo com seu modelo, ano, placa e outros itens também é fácil.

 

Nesse critério não importa a data de aquisição da mercadoria para a baixa, porém ela é preenchida na planilha.

 

Um exemplo de uma planilha de controle de estoque com base no custo especifico, seria a seguinte:

 

 

Vejam que a empresa não tinha nenhum veiculo em estoque no inicio do mês de Janeiro, no dia 02 fez uma compra de um Monza – Placa XAX (outros itens podem ser incluídos na descrição para facilitar a identificação) – nesse momento ficou então com um veiculo em estoque, e o valor total do estoque é de R$ 9.000,00.

 

No mesmo dia fez outra compra, agora de um Vectra – Placa XBX, por R$ 20.000,00, nesse momento ela ficou com 2 veículos em estoque, e o seu saldo final é de R$ 29.000,00.

 

No dia 05, a empresa comprou um Fusca – Placa ABC, por R$ 2.500,00, nesse momento ela ficou com 3 veículos em estoque, e um total de R$ 31.500,00.

 

No dia 09, e empresa vendeu o Fusca – Placa ABC, então foi dado baixa, no valor do custo de aquisição do fusca ou seja, R$ 2.500,00, nesse momento a empresa ficou com 2 veículos em estoque, avaliados a R$ 29.000,00 no total.

 

O controle acima é bem simples, apesar de poucos itens, mesmo que fosse muitos itens seria fácil, pela característica do produto, no caso do veiculo, por exemplo o modelo, a placa, a cor, o combustível, o chassi, todos esses itens ajudam a identificar o produto.

 

Se fossem imóveis, por exemplo, o endereço, o tipo (casa, apartamento, terreno), a escritura.

 

Agora imagine identificar ventiladores. Apesar de possível, pois possuem um número de série, seria tão trabalhoso, pois uma empresa que compra e vende ventiladores, não vai comprar poucas unidades e sim um monte de ventiladores de uma vez só, que não valeria a pena a relação de custo x beneficio de manter um controle especifico.

 

Agora imagine uma grande papelaria, controlar canetas por exemplo, com o método do custo especifico, é impossível, com o método do PEPS ou do UEPS é muito trabalhoso, tentem imaginar dar baixa no primeiro lote no caso do PEPS, ou no último lote, no caso do UEPS da venda de canetas, deve haver vários lotes de canetas, sua ficha de controle de estoque teria vários lotes de estoque final só de canetas, nesses casos existe um outro método de avaliação de estoques chamado de Custo Médio, que veremos no próximo tutorial.

 

Vamos parar por aqui.

 

Até a próxima

 

Rodrigo

 

Quer receber novidades e e-books gratuitos?

Cursos Online

  • Banco de Dados
  • Carreira
  • Criação/Web
  • Excel/Projetos
  • Formação
  • + Todas as categorias
  • Contato: Telefone: (51) 3717-3796 | E-mail: webmaster@juliobattisti.com.br | Whatsapp: (51) 99627-3434

    Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda | CNPJ: 08.916.484/0001-25 | Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 - Universitário, Santa Cruz do Sul/RS, CEP: 96816-208

    Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2020 ®

    [LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

    APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI