NUNCA MAIS PASSE RAIVA POR NÃO CONSEGUIR RESOLVER UM PROBLEMA COM O EXCEL - GARANTIDO!

UNIVERSIDADE DO VBA - Domine o VBA no Excel Criando Sistemas Completos - Passo a Passo - CLIQUE AQUI

Você está em: PrincipalTutoriaisRodrigosfreitas : Conhecendocontabilidade020
Quer receber novidades e e-books gratuitos?

FILTRO DE TUTORIAIS:


Demonstração do Resultado do Exercício – 3.ª Parte

 

Correção do Exercício:

 

No tutorial passado ficou a seguinte proposta de exercício:

 

Considerando o balanço abaixo:

 

 

As operações foram relativas ao mês de Julho.

 

1 – Venda de R$ 1.000,00 de mercadorias, por R$ 2.000,00 a prazo.

2 – Compra de R$ 1.500,00 de mercadorias, a vista.

3 – Recebimento de R$ 3.000,00 de clientes.

4 –Venda de R$ 2.000,00 de mercadoria por R$ 4.000,00, sendo metade recebido a vista e metade a prazo.

5 – Pagamento de R$ 1.500,00 de fornecedores.

6 – Pagamento do valor total do impostos referentes ao mês de Junho.

7 – Venda de R$ 1.000,00 de mercadorias, por R$ 1.500,00 a prazo.

 

Faça todas as contabilizações, não se esquecendo de apurar o imposto AO FINAL, pela alíquota de 15% sobre o valor das vendas, após apure o resultado, faça o balanço e a DRE.

 

Contabilizações:

 

 

Feito isso temos todas as operações contabilizadas, os lançamentos de apuração do resultado feitos. E podemos levantar o balanço do período.

 

Para não deixarmos de fazermos uma rápida análise, tendo em vista a maioria dos lançamentos já são conhecidos, vamos ressaltar alguns pontos.

 

O lançamento de número 4 merece um destaque, veja que vendemos R$ 2.000,00 de mercadoria, por R$ 4.000,00 sendo que recebemos metade a vista e metade a prazo. O lançamento para apuração do custo é igual, debitamos a conta de CMV em R$ 2.000,00 e creditamos a conta de mercadorias em R$ 2.000,00, na primeira registramos o aumento com um débito e na segunda uma diminuição com um crédito.

 

No registro da venda, creditamos a conta de Receita de Vendas em R$ 4.000,00 e fizemos mais 2 débitos, um na conta de clientes, no valor de R$ 2.000,00 e o outro na conta Banco também no valor de R$ 2.000,00, pois do valor da venda metade (4.000,00 : 2 = 2.000,00), foi recebido a vista e o restante a prazo.

 

Logo trabalhamos com um lançamento de 3 fórmula, onde temos 2 contas debitadas e 1 conta creditada.

 

No lançamento de número 6 fizemos o pagamento do valor total dos impostos do mês de Junho, logo tínhamos como saldo de junho nessa conta a quantia de R$ 500,00, então fizemos um débito na conta de Impostos a Pagar e um crédito na conta Banco.

 

Por ultimo pedi que apurássemos o valor do imposto pelo total das vendas efetuadas no mês, sendo que o imposto seria igual a 15% do valor total das vendas. O primeiro passo seria saber qual era o total das vendas no mês, apurando o saldo da conta de Receita de Vendas, chegamos ao valor de R$ 7.500,00 de vendas efetuadas no mês, logo 15% desse valor é igual a R$ 1.125,00.

 

Apurado o valor do imposto faltava o lançamento, que fizemos debitando a conta de despesas com Impostos, e creditando a conta de impostos a pagar no passivo.

 

Lembrando que GERALMENTE, os impostos de um mês são pagos no mês seguinte, com raras exceções. Por isso tempos que provisionar o valor do imposto no seu mês de ocorrência, para que respeitemos o principio da Competência.

Feito isso zeramos as contas de resultado para a apuração do mesmo.

 

O próximo passo seria, efetuar o Balanço Patrimonial do mês de Julho, que ficaria da seguinte forma:

 

 

Agora podemos montar a nossa DRE que ficaria da seguinte forma:

 

 

Continuação:

 

Vamos agora, fazer um outro exercício, só que vamos agora adicionar, as seguintes despesas: DESPESAS COM ALUGUEL, DEPESAS COM SALARIOS, DESPESAS DE CONSERVAÇÃO, e as seguintes receitas: RECEITAS DE JUROS, RECEITAS DE APLICAÇÕES FINANCEIRAS, além das demais receitas, despesas e custos que estamos constantemente trabalhando.

 

A intenção aqui é somente mostrar como ficam essas despesas e receitas na DRE, portanto faremos um exercício com poucos lançamentos.

 

Considerando o balanço acima, elaborado no final de Julho, vamos fazer a contabilização das seguintes operações:

 

1 – Compra de R$ 1.000,00 de mercadorias, a vista;

2 – Pagamento do valor total dos impostos do mês de Julho.

3 – Aplicação financeira de R$ 6.000,00.

4 – Venda de R$ 1.200,00 de mercadorias por R$ 3.000,00 a vista.

5 – Recebimento de R$ 2.500,00 de clientes, sendo R$ 2.000,00 referentes às vendas e R$ 500,00 de juros.

6 – A empresa fez uma melhoria, pintando a parede do seu estabelecimento e gastou para tal R$ 400,00 em tintas (DESPESAS DE CONSERVAÇÃO), com pagamento a vista.

7 – A empresa contratou um funcionário no mês de Agosto, com o salário de R$ 250,00 (que será pago em Setembro), porém a despesa com o salário como já sabemos pertence ao mês de Agosto.

8 – Contabilização da despesa com aluguel no valor de R$ 300,00 que será pago em Setembro.

9 – Apuração do valor do imposto a pagar pelo percentual de 15% sobre as vendas.

10 – Contabilização do rendimento da aplicação financeira que foi de R$ 240,00.

 

Vamos a contabilização:

 

 

Vamos fazer um rápido comentário sobre os lançamentos novos.

 

O terceiro lançamento foi a realização de uma aplicação financeira, logo debitamos uma conta chamada de aplicação financeira e creditamos a conta banco, para registrar a diminuição no saldo desta.

 

O quinto lançamento recebimento de R$ 2.500,00 sendo R$ 2.000,00 das vendas e R$ 500,00 de juros, debitamos a conta bancos em R$ 2.500,00 e fizemos dois créditos, um de R$ 2.000,00 na conta de clientes, e outro de R$ 500,00 na conta de Receita de Juros.

 

O sexto lançamento foi um gasto que a empresa fez (UMA DESPESA), pintando o seu estabelecimento, logo ela gastou R$ 400,00 em tintas. Então abrimos uma conta de DESPESAS COM CONSERVAÇÃO e debitamos essa em R$ 400,00 e creditamos a conta bancos em R$ 400,00, pois o pagamento foi a vista.

 

O sétimo lançamento foi o registro da despesa de salário do mês de agosto, porém ela só será paga no mês de setembro, mas respeitando o principio da competência temos que registrar ela no mês de ocorrência. Então debitamos a conta de despesa com salário e creditamos a conta de salários a pagar.

 

O décimo lançamento foi o registro da receita de aplicações financeiras, no valor de R$ 240,00, logo debitamos a conta de aplicações financeiras, e creditamos a conta de Receita com Aplicações Financeiras.

 

Os demais lançamentos foram iguais aos que sempre fizemos.

 

Nosso Balanço Patrimonial de Agosto ficaria da seguinte forma:

 

 

E nossa DRE ficaria da seguinte forma:

 

 

Na DRE fizemos uma linha para cada tipo de despesa e de receita, isso facilita a nossa análise, pois como sabemos o balanço patrimonial nos mostra a situação da empresa em um determinado momento (SITUAÇÃO ESTÁTICA).

 

Percebam também que as Receitas de Juros e de Aplicações Financeiras são somadas e as despesas são diminuídas.

 

Então partimos do valor da Receita de Vendas que é de R$ 3.000,00 diminuímos os R$ 1.200,00 de CMV, e as outras despesas sucessivamente, quando chegamos a Receitas de Juros começamos a somar, e assim fizemos com a Receita de Aplicação Financeira e chegamos ao lucro liquido, se após a Receita de Aplicações Financeiras houvesse mais alguma despesa diminuiríamos se houve mais alguma receita somaríamos.

 

Sabemos também que o balanço só nos mostra as contas patrimoniais (AS CONTAS QUE MOSTRAM OS BENS, DIREITOS E OBRIGAÇÕES), nos omitindo as contas de resultados (RECEITAS, CUSTOS E DESPESAS), que será na DRE que essas contas são demonstradas.

 

Então a DRE e o Balanço Patrimonial se completam, ou seja, o que um não mostrar o outro mostra.

 

O Balanço nos mostra que a empresa tem R$ 14.315,00 de lucro do exercício, porém a DRE nos diz que desse lucro todo somente R$ 1.140,00 foram gerados no mês de Agosto.

 

A DRE esta nos mostrando EXATAMENTE como a empresa chegou a esse lucro, partindo das vendas, diminuindo o custo, diminuídos as demais despesas e somando as demais receitas, até chegarmos ao lucro liquido.

 

Então essa DRE está nos mostrando com uma boa quantidade de informações para sabermos como a empresa chegou a esse resultado.

 

Imagine que a empresa ao invés de separar todas as despesas e receitas apresentasse a seguinte DRE.

 

 

Bem pobre em termos de informações não?

 

Essa é a importância principal de expormos aos mínimos detalhes como a empresa chegou ao resultado apresentado.

 

Além do mais veremos depois que tanto a DRE como o BP tem uma estrutura (uma forma de apresentação, um jeito certo) de ser apresentado, que facilita muito a nossa análise, que por motivos de facilitar o aprendizado não estamos nos preocupando com isso agora.

 

Porém do jeito que está sendo apresentado já conseguimos tirar algumas conclusões consideradas boas, quando arrumarmos as duas demonstrações ficará melhor ainda.

 

Vamos fazer uma análise das duas demonstrações, respondam as perguntas no próximo tutorial colocarei as respostas.

 

Antes lembrem-se que o balanço patrimonial é divido em dois lados, um (o lado esquerdo) mostra o ativo, e o outro, (o lado direito) mostra o Passivo e o Patrimônio Liquido. Esses últimos, Passivo e Patrimônio Liquido, são totalmente diferentesum do outro, o Passivo mostra a divida que a empresa tem com outras pessoas que não são os sócios, já o Patrimônio Liquido mostra a “divida” que a empresa tem com os sócios. Eles só ficam do mesmo lado, porém não se misturam.

 

1 – Quando a empresa deve ao Fornecedor?

2 – Quando a empresa deve de Passivo (Ver observação acima)?

3 – Somente com o saldo que a empresa tem no banco ela consegue pagar o seu Passivo? E sobra quanto? Com esse dinheiro que sobrou a empresa consegue pagar alguma coisa do seu Patrimônio Liquido?

4 – Quanto à empresa tem em estoque?

5 - Quanto à empresa tem a receber de clientes? E quanto tem aplicado no mercado financeiro?

6 – Qual foi o rendimento da aplicação financeira de agosto?

7 – Qual o valor que os donos da empresa investiram inicialmente, para que a empresa tivesse dinheiro para começar a trabalhar?

8 – Quanto foi à despesa com salário?

9 – Qual a sua opinião sobre a saúde financeira da empresa?

 

Deve estar parecendo fáceis as perguntas acima, afinal vocês acompanharam e fizeram as operações, na verdade esse exercício vai funcionar como uma “alavanca”, um empurrãozinho, pois no próximo tutorial colocarei um Balanço e uma DRE já prontos para que vocês façam uma análise.

 

Lembrando que essa análise que estamos fazendo é uma coisa superficial, na verdade falaremos depois, bem depois, sobre análise das demonstrações contábeis, que nesse momento sim será bem aprofundado no assunto.

 

No próximo tutorial veremos também como fica a DRE e o BP (Balanço Patrimonial) quando a empresa tem um prejuízo.

 

Não deixem de colocar sua avaliação sobre o tutorial na parte superior desta página, assim como o seu comentário, seja uma crítica, sugestão, dúvida ou elogio, será com base nelas que poderemos melhorar a qualidade da informação que estamos tentando passar.

 

Até a próxima.

Quer receber novidades e e-books gratuitos?

Cursos Online

  • Banco de Dados
  • Carreira
  • Criação/Web
  • Excel/Projetos
  • Formação
  • + Todas as categorias
  • Contato: Telefone: (51) 3717-3796 | E-mail: webmaster@juliobattisti.com.br | Whatsapp: (51) 99627-3434

    Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda | CNPJ: 08.916.484/0001-25 | Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 - Universitário, Santa Cruz do Sul/RS, CEP: 96816-208

    Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2019 ®

    [LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

    APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI