NUNCA MAIS PASSE RAIVA POR NÃO CONSEGUIR RESOLVER UM PROBLEMA COM O EXCEL - GARANTIDO!

UNIVERSIDADE DO VBA - Domine o VBA no Excel Criando Sistemas Completos - Passo a Passo - CLIQUE AQUI

Você está em: PrincipalTutoriaisPaulocfarias : Redesbasico006
Quer receber novidades e e-books gratuitos?

FILTRO DE TUTORIAIS:


Redes Básico – Parte VI

 

1.6.2.3 – Acessórios de conexão

 

Da mesma forma que o cabo coaxial, cabos par trançado precisam de conectores para serem plugados a placas de rede e demais equipamentos de rede.

 

Conector RJ-45 – O conector usado nos cabos par trançado é conhecido como RJ-45. Ele é bem maior do que o RJ-11 usado nas instalações telefônicas além de possuir 8 vias, enquanto o RJ-11 possui apenas 4. Pode ser macho ou fêmea. O macho é usado para ligar cabos aos equipamentos ou a conectores fêmea, para ligar dois segmentos de cabo.

 

Figura 1.30 – Conector RJ-45 macho

 

Quando se trata de grandes instalações UTP, existem diversos componentes que ajudam a estruturar melhor o cabeamento e facilitam seu manuseio e manutenção.

 

Racks de distribuição – Usados para organizar uma rede que tem muitas conexões. Se constitui em um ponto central para as conexões tanto de um andar como de vários andares.

 

Figura 1.31 – Rack de distribuição

 

Patch Panels – Pequenos módulos que são instalados nos racks. Possuem várias portas RJ-45, podendo chegar até 96.

 

Figura 1.32 – Patch Panel de 24 portas

 

Cabos RJ-45 (patch cords) – Também conhecidos por patch cords, nada mais são do que cabos UTP já crimpados, normalmente com distância de 1 metro. Eles são usados nos patches panels e nas tomadas RJ-45.

 

Tomadas RJ-45 – São conectores fêmea dentro de um invólucro, que permite a ligação dos fios do cabo neles.

 

Figura 1.33 – Tomadas RJ-45.

 

Espelhos de parede – São caixas que são instaladas próximo aos computadores dos usuários. Normalmente são instaladas nas paredes e são usados com as tomadas RJ-45.

 

Figura 1.34 – Espelhos de parede

 

Imagine que você precise ligar computadores de um setor de uma empresa à rede, mas não há cabos chegando até aquele setor. Em um cabeamento não estruturado você seguiria os seguintes passos:

 

» Passaria cabos para atender aquele setor.

 

» Identificaria os cabos

 

» Colocaria os referidos em canaletas

 

» Crimparia os cabos

 

» Ligaria os cabos direto as suas respectivas placas de rede.

 

Agora imagine a mesma situação em um cabeamento estruturado.

 

» Passaria os cabos

 

» Identificaria os cabos

 

» Faria as ligações dos fios dos cabos nas referidas tomadas RJ-45.

 

» Usaria patch cords para ligar os computadores as tomadas RJ-45.

 

» Usaria patch cords para ligar as portas do patch panel a um switch.

 

Figura 1.35 – Diversos componentes de um cabeamento estruturado

 

1.6.2.4 – Considerações sobre cabeamento UTP

 

Cabeamento UTP é recomendado nas seguintes situações:

 

» Restrições no orçamento

 

» Necessita-se de uma instalação fácil com conexões simples

 

E não é recomendado , nas seguintes situações:

 

» A LAN necessita de um alto nível de segurança e deve garantir a integridade dos dados.

 

» Transmissão de dados a longas distâncias e em altas velocidades é um requisito.

 

1.6.3 – Cabo de Fibra Ótica

 

Nos cabos de fibra ótica, sinais de dados são transportados por fibras óticas na forma de pulsos modulados de luz. É um meio seguro de transmitir dados porque diferentemente dos fios de cobre, onde os dados eram transportados na forma de sinas elétricos, nenhum sinal elétrico é transportado pelos cabos de fibras óticas. Isto resulta em duas coisas: na impossibilidade de roubo dos dados e na impossibilidade de escuta do cabo. Os sinais quase não sofrem atenuação e são puros. Por todas essas razões, fibra ótica é um ótimo meio de transmissão de dados em alta velocidade e de grande capacidade. Porem seu custo é elevado e sua instalação complexa.

 

1.6.3.1 – Composição

 

O cabo de fibra ótica é composto por um cilindro de vidro extremamente fino, chamado núcleo, envolvido por um outro cilindro de vidro chamado de casca.

 

Núcleo – Por onde trafega a informação.

 

Casca – Confina o raio de luz de modo que ele fique dentro do núcleo.

 

Fibras são às vezes feitas de plástico, porém o plástico transporta os pulsos de luz a distâncias menores que o vidro. Possuem dimensões muito reduzidas se comparadas ao cabo de cobre.

 

Transmissão em cabos de fibra não estão sujeitos a interferência elétrica e são extremamente rápidos podendo chegar a taxas de transmissão de 1 Gbps. Podem transportar o sinal por muitos quilômetros.

 

Figura 1.36 – Cabos de fibra ótica

 

1.6.3.2 – Tipos de Fibra

 

As fibras são classificadas por seu tipo de fabricação, forma da propagação dos raios de luz e capacidade de transmissão. Existem dois tipos básicos: fibra multímodo e monomodo

 

Fibra multímodo – Possuem dimensões do núcleo relativamente grandes, permitem a incidência de luz em vários ângulos, são fáceis de fabricar. Podem apresentar apenas um nível de reflexão entre o núcleo e a casca (índice degrau) ou vários níveis de reflexão entre o núcleo e a casca (índice gradual). Com relação a casca podem apresentar apenas um envoltório sobre o núcleo (casca simples) ou mais de um envoltório (casca dupla), usa como fonte de emissão de luz o led. No que tange a capacidade de transmissão, pode transmitir em 10 Gbps até uma distância máxima de 300 m, e 100 Mbps até uma distância máxima de 2 km. A tabela abaixo traça um comparativo entre velocidades e distâncias para a fibra multímodo.

 

 

Figura 1.37 – Uma fibra multímodo

 

Figura 1.38 – Transmissão em fibras multimodo

 

Fibra monomodo – Dimensões de núcleo menores, incidência de luz em um único ângulo, não há reflexão, usa como fonte de emissão de luz o laser, sua fabricação é complexa. No que tange a capacidade de transmissão, pode transmitir em 10 Gbps até 40 km e 1 Gbps até 5 km. A tabela abaixo traça um comparativo entre velocidades e distâncias para a fibra monomodo.

 

 

Figura 1.39 – Uma fibra monomodo

 

Figura 1.40 – Transmissão em fibra monomodo

 

1.6.3.3 – Considerações sobre cabos de fibra ótica.

 

Cabos de fibra são adequados para situações em que:

 

» Há necessidade de transmissão de dados em grandes velocidades a grandes distâncias de uma forma muito segura

 

Seu uso é desaconselhável nas seguintes situações:

 

» Restrições no orçamento

 

» Os profissionais não tem experiência suficiente para instalar e conectar os dispositivos.

 

1.6.4 – Selecionando o cabeamento

 

Para determinar qual cabeamento é mais indicado para uma determinada situação, devemos estar atentos as seguintes questões:

 

» Quão pesado será o tráfego da rede?

 

» Qual o nível de segurança exigido?

 

» Que distâncias o cabo deve cobrir?

 

» Quais as opções de cabo disponíveis?

 

» Qual o orçamento para o cabeamento?

 

Quanto maior a proteção contra ruídos externos e internos, maior será a taxa de transmissão ,mais longe o sinal será transportado sem atenuação e maior a segurança dos dados. Por outro lado, mais caro será o cabo. A tabela abaixo compara os diversos tipos de cabos segundo as questões mencionadas.

 

 

Quer receber novidades e e-books gratuitos?

Contato: Telefone: (51) 3717-3796 | E-mail: webmaster@juliobattisti.com.br | Whatsapp: (51) 99627-3434

Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda | CNPJ: 08.916.484/0001-25 | Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 - Universitário, Santa Cruz do Sul/RS, CEP: 96816-208

Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2021 ®

[LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI