NUNCA MAIS PASSE RAIVA POR NÃO CONSEGUIR RESOLVER UM PROBLEMA COM O EXCEL - GARANTIDO!

UNIVERSIDADE DO VBA - Domine o VBA no Excel Criando Sistemas Completos - Passo a Passo - CLIQUE AQUI

Você está em: PrincipalTutoriaisHerbertgois : Memorizacao006
Quer receber novidades e e-books gratuitos?

FILTRO DE TUTORIAIS:


Curso Sobre a Memória

 

A maior sabedoria que existe é a de conhecer-se!

Galileo Galilei

 

O PROCESSO NORMAL DE MEMORIZAÇÃO (continuação)

 

AS ASSOCIAÇÕES

 

Antes de estudarmos as associações, assunto muito importante que será abordado nesta lição vamos fazer uma recapitulação, perceba que essas revisões são muito importantes no processo de aprendizado e devem ser feitas em todos os estudos, mas este assunto será tratado mais a frente.

 

Vamos fazer um exercício de leitura.

 

EXERCICIO Nº 22

 

Leia o trecho abaixo com atenção, uma única vez, e depois responda o questionário.

 

Próximo de Château-Thierry, em 6 de março último, produziu-se um curioso descarrilamento de um combôio de mercadorias que se encontrava, à tarde, no entreposto. Dos trinta e oito vagões que compunham o combôio, dezesseis continham combustível e dezoito continham vinho. Dois vagões-cisternas de 40 metros cúbicos de combustível e quatro dos de vinho danificaram-se, o que teve por conseqüência que uma porção de combustível se espalhasse sobre a via férrea, atingindo também a estrada lateral. Tal derrame provocou a derrapagem, para um fosso, de uma camioneta carregada com 10 toneladas de azeite. Felizmente não houve que assinalar nenhum ferido em estado grave, tendo o motorista da camioneta sofrido somente ligeiras contusões.

 

QUESTIONÁRIO

 

Resposta às seguintes perguntas:

 

1- Onde se produziu o descarrilamento?

 

2- Havia mais vagões de vinho ou de combustível?

 

3- Quantos vagões de vinho ficaram danificados?

 

4- O que verteu mais: vinho ou combustível?

 

5- Ao todo, quantos vagões tinham o combôio?

 

6- Em que momento da viagem teve lugar o acidente?

 

Verifique os resultados.

 

Este teste constitui um exercício de concentração e mostra-lhe, geralmente, se tem tendência para fixar ou se deixa impressionar pelos números, esquecendo as noções e as relações simples.

 

Eu gostaria agora que você desse uma lida nos tutorias 4 e 5, novamente, antes de prosseguir. Faça isso e verifique o quanto vai melhorar a sua compreensão.

 

Agora que você já relembrou dos assuntos que tratamos nos dois últimos tutoriais, vamos aprender um pouco sobre as associações.

 

D) crie associações.

 

É este o verdadeiro segredo das boas memórias.

 

William James escreveu: “O Segredo de uma boa memória é o segredo de formar associações múltiplas e diversas com qualquer elemento que desejemos fixar... Cada associação torna-se um complexo ao qual o elemento está ligado, constituindo, assim, um meio de trazê-lo à superfície, se lá não estiver”.

 

A associação é indispensável para fixar as lembranças e depois para a respectiva recordação.

 

As associações não têm, necessariamente, que ser naturais ou lógicas. Veremos alguns casos no estudo da mnemotecnia (arte de educar e desenvolver a memória).

 

Se pretender lembrar do nome de uma pessoa, tente fazer o maior número possível de associações a respeito dessa pessoa e do seu nome.

 

Exemplo: tente conhecer a profissão da pessoa e diga para si mesmo “o Sr. Simão é inspetor de venda, como o meu amigo Duarte”. Observe a sua fisionomia e estabeleça associações: “tem um bigode tão grande como uma escova de unhas, este senhor Simão”. Quando lhe foi apresentado ele conversava com uma amiga de sua esposa, a Sr.ª Marta. Pense: “o Simão é também amigo da Sr. Marta”. Torne a “vê-los” a conversar, no canto do salão, onde se encontravam quando você entrou. Pense que o seu nome, Simão, se assemelha ao de um dos seus clientes, Simão, mas que fisicamente, são muito diferentes.

 

Assim, você realizou associações múltiplas.

 

Poderá, mesmo, fazer associações do tipo “trocadilho”. A Sr.ª Marta “tragando” um “Martini” (e você imagina-a, bebendo sofregamente). A imagem é exagerada, é verdade; mas é eficaz. Garanto pra você que quando mais ridícula for a associação, mas eficaz será.

 

Para se lembrar de levar consigo, para viagem, o seu aparelho elétrico de barba, associe o aparelho à sua mala. Pense por exemplo: “a mala é de couro liso; portanto, não tem necessidade de se barbear”. Imagine, então, a mala a ser barbeada com o aparelho elétrico.

 

Novamente, é ridículo, mas resulta.

 

Quando, mais tarde, for buscar a mala, vão se lembrar automaticamente de seu aparelho de barbear porque fez uma associação.

 

De igual modo, quando procurar lembrar de qualquer coisa, evoque as idéias ou as circunstâncias que lhe estão associadas.

 

Para se recordar de um verso de que se esqueceu, pense nos versos precedentes ou seguintes e recite-os.

 

Para se lembrar do lugar em que arrumou a sua máquina fotográfica, tente lembrar-se quando a utilizou a última vez. Veja-se a usando, depois, veja-se a chegar a casa e colocá-la à entrada, pensando mais tarde: “vou arrumá-la”. Terá, assim, fortes possibilidades de descobrir onde a arrumou.

 

Para relembrar o nome de alguém, “reveja” essa pessoa nas circunstâncias em que a encontrou na última vez, recorde as suas palavras e os seus gestos. Tente fazer reviver as circunstâncias do seu encontro.

 

Proceda sempre deste modo para se recordar. Não tente lembrar-se, brutalmente do que pretende; tente contínua e calmamente, pense nos pormenores ligados ao assunto, produza associações, contorne o problema sem o atacar de frente.

 

Se procurar o nome de um poeta da Pléiade não tente, em vão, lembrar-se do nome que lhe escapou. Cite em voz alta (ou murmurando) aqueles em que está a pensar e que tem presente: Ronsard, Du Bellay, Pontus de Thyard, Daurat, Jodelle... Repita-os. Cite mesmo outros escritores e, finalmente, haverá muitas possibilidades de recordar o nome do poeta que lhe escapava. Se não o recordou em alguns minutos, abandone a busca durante 2 minutos, pense em outra coisa; depois, continue, mas procurando sempre estabelecer associações.

 

Veremos, mais adiante, o papel essencial que representam as associações na mnemotecnia.

 

EXERCICIO Nº 23

 

Faça novamente o exercício 18 da lição 4.

 

EXERCICIO Nº 24

 

Quando estiver deitado, estendido, deixe os seus olhos dirigirem-se para o teto. Trace, em pensamento, um A grande no teto, um A de 50 centímetros ou de 1 metro. Quando o “vir” claramente “apague-o” e passe a letra B; depois, a letra C. Não ultrapasse 4 ou 5 letras, da primeira vez. É necessário, evidente, não se deixar distrair e arrastar por outros pensamentos; mais tarde, fará este mesmo exercício, com o maior de letras possível, até que possa se distrair, não perdendo, porém, a clareza das imagens das letras que está a reproduzir, mentalmente, no teto.

 

EXERCICIO Nº 25

 

Elabore a lista das últimas 15 pessoas a quem falou, partindo do momento em que está fazendo este exercício até que chegue á 15 pessoa.

 

EXERCICIO Nº 26

 

Novamente tente pensar em fazer algo durante o dia de amanhã. Para lhe dar uma ajuda, procure associar essa coisa a várias ações que tem a certeza de vai realizar amanhã, ou então, tente associar essa coisa a objetos diferentes que tem a certeza de vai ver amanhã (a sua escova de dente, os cadarços dos sapatos, a porta do seu escritório etc.). Assim, provocará sem dúvida associações que, espontaneamente, o farão pensar amanhã no que necessitava recordar-se.

 

EXERCICIO Nº 27

 

Eis um exercício destinado a afazer desenvolver as suas faculdades de síntese e de recordação.

 

Para localizar os dados que vai procurar, tente fazer associações, evocar as idéias anexas que possam relacionar-se com as idéias que pretende trazer à superfície.

 

Pegue uma folha de papel e escreva o título de um assunto do qual já tenha conhecimento. Por exemplo, o Canadá, Napoleão, o câncer, a fotografia, as plantas verdes, etc.

 

Depois, tente agrupar, anotando na folha, todos os conhecimentos que tem sobre o assunto.

 

Ligue também toda lembranças que possua a tal respeito.

 

EXERCICIO Nº 28

 

Leia, durante dois minutos, a lista das palavras abaixo indicadas com o objetivo de fixar o maior número possível:

 

chapéu envelope casa botão gato
telefone dinheiro lápis meia livro
cacto enguia casaco chave de parafusos farol
bolo escritório renda arroz anzol

 

Tente agora dizer esta lista de palavras ordenadamente.

 

Não o conseguirá, sem dúvida.

 

Tente, então, recordar-se do maior número de palavras desta lista.

 

Verificará que lhe faltam muitas.

 

Você empregou muito simplesmente um método deficiente, mau.

 

Na próxima lição estudaremos como fixar uma as palavras pelo método das associações de imagens.

 

Este método é muito interessante, é uma excelente aplicação do que acabamos de dizer acerca das associações.


Confira todos os artigos de Memorização:

Quer receber novidades e e-books gratuitos?

Cursos Online

  • Banco de Dados
  • Carreira
  • Criação/Web
  • Excel/Projetos
  • Formação
  • + Todas as categorias
  • Essential SSL

    Contato: Telefone: (51) 3717-3796 | E-mail: webmaster@juliobattisti.com.br | Whatsapp: (51) 99627-3434

    Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda | CNPJ: 08.916.484/0001-25 | Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 - Universitário, Santa Cruz do Sul/RS, CEP: 96816-208

    Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2020 ®

    [LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

    APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI