NUNCA MAIS PASSE RAIVA POR NÃO CONSEGUIR RESOLVER UM PROBLEMA COM O EXCEL - GARANTIDO!

UNIVERSIDADE DO VBA - Domine o VBA no Excel Criando Sistemas Completos - Passo a Passo - CLIQUE AQUI

Você está em: PrincipalTutoriaisAdrienearaujo : Literatura011
Quer receber novidades e e-books gratuitos?

FILTRO DE TUTORIAIS:


 

LITERATURA - ESTILOS LITERÁRIOS

 

ROMANTISMO- Parte II- Portugal e Brasil

 

Objetivo: esta lição mostrará como este estilo literário se desenvolveu em Portugal, como afetou a sociedade portuguesa, quais foram seus principais escritores e poetas, suas principais obras, que também serviram de influência para outras partes do mundo, como exemplo suas colônias, umas delas sendo o Brasil.

 

Romantismo – Em Portugal

 

O romantismo em Portugal teve Inicio em 1825,  quando Almeida Garrett publicou o poema Camões, biografia do célebre poeta, em versos brancos, que retratava principalmente o sentimentalismo. O Romantismo teve uma duração de 40 anos e terminou por volta de 1865, com a Questão Coimbrã ou Questão do Bom Senso e do Bom Gosto, que foi encabeçada por Antero de Quental.

 

O romantismo surgiu dentro de um clima político conturbado, que defendia a implantação do liberalismo no país. O objetivo desse movimento era a implantação de uma política de cortes, eleita por todas as classes sociais. Cada tendo seu representante D. Pedro IV (D. Pedro I do Brasil) defendia o liberalismo; e D. Miguel, seu irmão absolutista. Derrotado, D.Pedro teve de ceder o trono português ao irmão e só em 1834 que consegue ter outra vez o trono quando o liberalismo finalmente se impõe.

 

Há três momentos distintos no desenvolvimento do Romantismo português:

 

- 1º Romantismo (ou primeira geração): foi durante o período de 1825 e 1840,mas ainda com forte influência do Classicismo. Serviu de base  para a consolidação do liberalismo em Portugal, Os ideais dessa geração tinham origem na pureza e originalidade. Principais escritores: Almeida Garrett, Alexandre Herculano, Antônio Feliciano de Castilho.

 

- 2º Romantismo (ou segunda geração): também conhecido como Ultra-Romantismo, marcado pelo exagero, desequilíbrio, sentimentalismo, prevaleceu até 1860. Principais escritores: Camilo Castelo Branco e Soares Passos.

 

- 3º Romantismo ( ou terceira geração): de 1860 a 1870, foi considerado momento de transição, pois já anunciava o Realismo. Trouxe um Romantismo mais equilibrado, regenerado (corrigido, reconstituído). Principais escritores: João de Deus, na poesia, e Júlio Dinis, na prosa.

 

Além da poesia e do romance, nesses três momentos românticos, desenvolveram-se ainda o teatro, a historiografia e o jornalismo de forma nunca vista antes em Portugal.

 

ROMANTISMO – NO BRASIL

 

Aqui no Brasil originou-se poucos anos depois de nossa independência política. Por isso que nas primeiras obras e os primeiros artistas românicos aparece uma nova definição para a cultura brasileira em diversos aspectos: como na língua, nas tradições, no passado histórico, nas diferenças regionais. Pode-se dizer que o nacionalismo é a marca que caracterizava a produção de nossos primeiros escritores românticos. A dinamização da vida cultural da colônia e a criação de um público leitor, embora de início de jornais, serviu para o florescimento de uma literatura mais forte e real do que eram as manifestações literárias dos séculos XVII e XVIII.

 

Com a  Independência política, de 1822, surgi a necessidade de criar uma cultura brasileira identificada com suas próprias raízes históricas, lingüísticas e culturais.

 

O Romantismo, na literatura brasileira serviu como uma conotação de um movimento de rejeição à literatura produzida na época colonial, em virtude do apego dessa produção aos modelos culturais portugueses. Dentre as marcas de destaque no romantismo brasileira estão: o indianismo, o regionalismo, a pesquisa histórica, folclórica e lingüística e crítica aos problemas nacionais.

 

O marco inicial desses estilo no Brasil foi a publicação da obra Suspiros poéticos e saudades, em 1836, de Gonçalves de Magalhães. A importância dessa obra está nas novidades teóricas de seu prólogo, onde Magalhães anuncia a revolução literária romântica.

 

Gerações românticas

 

São três gerações de escritores românticos. Essa divisão abrange  principalmente os autores de poesia. Os romancistas não se enquadram muito bem nessa divisão, visto que  suas obras podem apresentar traços de mais de uma geração.

 

primeira geração:

 

esta geração também ficou conhecida como: Geração Nacionalista e Lusófoba, suas principais características foram:

 

Nacionalismo: amor à pátria.

 

Nativismo :amor a terra nativa.

 

Lusofobia : Aversão, terror a Portugal.

 

Indianismo: indígena torna-se o símbolo nacional, como heroi-mito do Bom Selvagem (Rosseau).

 

Valorização de uma cultura nacional.

 

Os autores de maior destaque foram: Gonçalves de Magalhães , Gonçalves Dias e Araújo Porto Alegre.

 

segunda geração:

 

esta foi marcada pelo "mal do século", suas principais características foram: egocentrismo exacerbado, pessimismo, satanismo e atração pela morte. Destacam-se os poetas Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Fagundes Varela e Junqueira Freire. Essa geração é conhecida também por Ultra-Romantismo, devido à forte influência byroniana. Outras características desta geração foram: o determinismo, vítimas de destino, melancolia, desejo de evasão, recordação de um passado longínquo, que não tiveram, cansaço da vida antes de tê-la vivido.

 

terceira geração:

 

esta geração foi formada pelo grupo condoreiro,seu símbolo foi a ave condor. Ela  desenvolveu uma poesia de cunho político e social. O maior destaque desse grupo foi Castro Alves. Essa última geração  condoreira viveu um clima de intensa agitação interna: Guerra do Paraguai, lutas abolicionistas, propaganda republicana.

 

Suas principais características foram:

 

Sentimento literário;

 

Poesia social;

 

Poesia revolucionária – Defende já a idéia da republica;

 

Contra a escravidão;

 

Carga emocional profunda – Poesia exclamativa;

 

Ligação a oratória, ao discurso a oralidade;

 

O amor e a mulher são menos idealizados (certo sensualismo);

 

Os principais autores foram: Tobias Barreto, Castro Alves, Sousa Andrade.

 

O Romantismo brasileiro pode ser dividido da seguinte forma:

 

- nalírica: Gonçalves Dias, Gonçalves de Magalhães, Álvares de Azevedo, Cardoso de Abreu, Fagundes Varela, Junqueira Freire, Castro Alves e Sousândrade, dentre outros.

 

- naépica: Gonçalves Dias e Castro Alves.

 

- no romance: José de Alencar, Manoel Antônio de Almeida, Joaquim. Manuel de Macedo, Bernardo Guimarães, Visconde de Taunay, Franklin Távora e outros.

 

- no conto: Álvares de Azevedo.

 

- no teatro: Martins Pena, José de Alencar, Gonçalves de Magalhães, Gonçalves Dias, Álvares de Azevedo e outro.

 

A prosa Romântica

 

O Romance pode ser dividido em:

 

O Romance Urbano – prosa romântica que inaugura a publicação do romance de ficção no Brasil. apresenta os costumes socio-culturais da sociedade, em especial a sociedade carioca, da 1º metade do século XIX. As narrativas urbanas do Romantismo retratam basicamente o cotidiano da corte do Rio de Janeiro. (um exemplo foi a obra “a Moreninha”). Principais autores: Joaquim Manuel de Macedo, com suas obras: A Moreninha, O Moço Loiro, A luneta Mágica; Manuel Antônio de Almeida com suas obras:Memórias de um sargento de milícias; José de Alencar, com suas obras: Diva, Senhora, Lucíola, A pata da Gazela, Cinco minutos, A Viuvinha.

 

O romance Indianista – este tipo de prosa  faz parte de um projeto de valorização da cultura nacional através de um ponto de vista nacionalista, onde coloca o índio como símbolo nacional e expressa características como heroísmo, coragem e pureza. Seu principal autor: José de Alencar com suas obras: O Guarani, Iracema, Ubirajara.

 

O romance regionalista ou rural – este tipo de narrativa faz parte do mesmo projeto de valorização da cultura nacional, através da apresentação dos costumes, comportamentos e geografia de determinadas regiões do Brasil. Retrata o cotidiano da vida nas fazendas do interior do Brasil. Seus principais autores: Visconde de Taunay, e suas obras: Inocência; Bernardo Guimarães e sua obra: A escrava Isaura, O Garimpeiro; Fraklin Távola e sua obra: O Cabeleira; José de Alencar e suas obras: O Gaúcho, O tronco do Ipê, O Sertanejo.

 

O romance histórico – segue a mesma linha de valorização nacional. Este tipo de romance relata episódios históricos ocorridos no Brasil desde o inicio da sua valorização. Seu principal autor: José de Alencar suas obras: A guerra dos mascates, Minas de Prata, O Garatuja.

 

O teatro Romântico

 

Suas principais Características são:

 

A base na tradição clássica – inspiração nos dramas de teatrólogo inglês "Willian Sharespeare" (séc. XVI);

 

Teatro tradicional;

 

Teatro de costume – A comédia. Crítica a sociedade da época. Martins Pena;

 

1885 – O teatro Brasileiro passa por uma renovação: Os "Dramalhões" e "Comédias" são substituídos pelos chamados "Dramas de Casaca", teatro com traços mais realistas.

 

Principais autores e obras: Álvares de Azevedo e sua obra

 

- "Macário" – (mistura de teatro, narrativa e diário intimo). José de Alencar e sua s obras: O Demônio familiar, Versos e Reversos. Castro Alves e sua obra: Gonzala ou revolução. Gonçalves Dias e suas obras: Leonor de Mendonça, Patkull, Beatriz Cenci. Martins Pena e suas obras: Juiz de Paz Na Roça, A Família e a Festa na Roça,O Judas em sábado de aleluia, O caixeiro da taverna,O Noviço.

 

Quer receber novidades e e-books gratuitos?

Cursos Online

  • Banco de Dados
  • Carreira
  • Criação/Web
  • Excel/Projetos
  • Formação
  • + Todas as categorias
  • Essential SSL

    Contato: Telefone: (51) 3717-3796 | E-mail: webmaster@juliobattisti.com.br | Whatsapp: (51) 99627-3434

    Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda | CNPJ: 08.916.484/0001-25 | Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 - Universitário, Santa Cruz do Sul/RS, CEP: 96816-208

    Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2020 ®

    [LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

    APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI