NUNCA MAIS PASSE RAIVA POR NÃO CONSEGUIR RESOLVER UM PROBLEMA COM O EXCEL - GARANTIDO!

UNIVERSIDADE DO VBA - Domine o VBA no Excel Criando Sistemas Completos - Passo a Passo - CLIQUE AQUI

Você está em: PrincipalTutoriaisAdrienearaujo : Literatura004
Quer receber novidades e e-books gratuitos?

FILTRO DE TUTORIAIS:


LITERATURA

 

LITERATURA: CONCEITOS FUNDAMENTAIS

 

MÓDULO 4 – HUMANISMO

 

Objetivo:

 

Esta lição visa mostrar como surgiu o Humanismo, porque surgiu, qual foi sua influência para a sociedade da época. E quais foram seus maiores destaques. também dá destaque para um importante autor, Gil Vicente, como suas obras influenciaram a literatura da época. Suas obras serviram de marco divisório na história da literatura humanista portuguesa.

 

Pré-requisito:

 

Ter visto o módulo 3, onde foi abordado o assunto sobre o trovadorismo. Pois ambos fazem parte do estilo de época da literatura da idade média.

 

HUMANISMO

 

Tradicionalmente, o humanismo está associado com a Renascença. Naquela época, a Europa, especialmente a Itália, estava submersa nos antigos manuscritos procedentes de Bizâncio, sitiada pelos turcos. Isso resultou numa onda de entusiasmo pela antiga cultura greco-romana por parte das pessoas que estavam cansadas da árida escolástica medieval. Após mil anos de estudo sobre Deus, sob a mão opressiva da Igreja Católica, os europeus da Renascença ficaram na expectativa de imitar os antigos e de glorificar o homem, como inovação.

 

“O livre pensamento e a livre conduta dos gregos seguidores de Péricles ou dos romanos clássicos criavam em muitos humanistas um anelo que esmagava nos seus corações o código cristão de humildade, continência e desprendimento do mundo”, comenta o historiador Will Durant, “e se perguntavam por que deviam sujeitar seu corpo, sua mente e sua alma à regra de eclesiásticos que se convertiam eles próprios agora alegremente ao mundo”.

 

Mas os humanistas da Renascença lançaram fora a religião e o cristianismo. “Em grande parte”, segundo observa Durant, os humanistas “agiram como se o cristianismo sido um mito . . . que não devia ser levado a sério por mentes emancipadas”.

 

Os humanistas gostam de citar o antigo filósofo grego Protágoras que disse que “o homem é a medida de todas as coisas”.

 

Este movimento envolveu todos os campos da sociedade, a saber, o intelectual, moral e religioso. Iniciou-se no final do século XV e influenciou fortemente o século XVI. O objetivo dos humanistas era conseguir uma humanidade melhor. Seus ideais baseavam-se na paz e sabedoria, que seria conseguida através do aperfeiçoamento das qualidades intelectuais e morais dos homens. Em Portugal o mais destacado humanista foi Gil Vicente. Este foi autor de várias obras, entre elas: O Auto da barca do inferno.

 

A SOCIEDADE DA ÉPOCA

 

O período humanista, foi uma época onde houve muitos  marcos históricos. Como exemplo, na ciência  houve a invenção da Tipografia por Gutenberg em 1448; na religião a inquisição foi instaurada na Espanha,infelizmente este fato não foi de tanto prestígio pois atrasou o progresso da ciência;na política expansionista as grandes navegação começam a mostrar seus efeitos, um exemplo: Cristóvão Colombo descobriu a América e Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil. Em 1536 a inquisição em Portugal é estabelecida por Paulo III.

 

Com isso tudo, o mercantilismo ganhou importância, deixando para trás uma economia baseada na agricultura. As cidades portuárias começam a crescer, passando a ser um chamariz para os camponeses, que mudam para as cidades e passam a aprender novas profissões, ter um outro estilo de vida, diferente de quando eram somente sujeitos aos senhores feudais. Isto fez surgir as pequenas industrias artesanais. A burguesia passa a florescer, crescer e desafiar o poder da nobreza, que vê na nobreza um concorrente ao poder.

 

O pensamento medieval começa a desaparecer e a idéia do Teocentrismo passa a dar lugar ao antropocentrismo ( a valorização do homem).

 

ORIGEM DO HUMANISMO

 

Com a conquista de Constantinopla em 1453, muitos intelectuais gregos fugiram para a Itália, e com eles a influência dos autores da antiguidade grego-latino.

 

Quem foram os humanistas?

 

Eles eram artista, professores e até homens da igreja. Para estes homens os valores e direitos de cada pessoa deveriam ficar acima da cultura, por isso eles copiavam, estudavam e comentavam textos de  filósofos grego-latino.

 

O humanismo além de ter sido um movimento cultural, fez revolução na maneira de pensar do homem. Passou a considerar o homem com objetivo de conhecimento. Algo a ser valorizado, ter mais destaque no Universo, ficando abaixo apenas de Deus.

 

DESTAQUES DE LITERÁRIOS EM PORTUGAL

 

GIL VICENTE

 

Gil Vicente viveu no meio das transformações na Europa e principalmente em Portugal. Seu inicio no teatro foi provavelmente em junho de 1502, quando em espanhol recitou o monólogo do vaqueiro ou Auto da visitação, por ocasião do nascimento do futuro rei D.JoãoIII, filho de D.Manuel.

 

As manifestações teatrais podem ser divididas em dois períodos:

 

Pré-vicentinas: manifestações de caráter religioso ou profano, chamadas também de milagres, mistérios e moralidades. Estas como já se sugere, refere-se a todas as manifestações antes de Gil Vicente e dentro delas há os seguintes grupos:

 

» Os milagres: eram encenações de situações de vida dos santos.

 

» Os mistérios: eram cenas da vida de cristo, com vários figurantes, ocorriam por época do natal ou páscoa.

 

» As moralidades: eram cenas onde os personagens tornavam formas de vícios e virtudes, como humildade, egoísmo e outros.

 

Gil Vicente serviu de marco no teatro português. Com ele passam a surgir importantes  mudanças no teatro.

 

Teatro Vicentino

 

Gil Vicentino foi franco em suas obras. Em relação à sociedade foi bastante crítico. No teatro, ele achou o meio ideal para mostrar suas opiniões sobre os fatos da época. Suas críticas eram extremas, temperadas com comicidade. Estas afetavam a todas as classes sociais, desde o alto clero até o povo. Estas críticas apareciam nas suas peças de acordo com os personagens: autoridades corruptas, médicos charlatões, velhos indo atrás de moças jovens  e outros...

 

Era um teatro popular com temas da idade média, como por exemplo as encenações religiosas, como  a do natal,  os feitos heróicos dos cavaleiros e o lirismo das cantigas.

 

Mesmo sendo católico, criticava a venda de indulgências. Prática ainda forte em sua época.

 

Fez 44 peças, tanto em português como em castelhano. As mais destacadas foram: Monólogo do Vaqueiro(1502); Auto da Barca do inferno(1517); farsa de Inês Pereira(1523), O juiz da beira(1525).

 

Outros Manifestos literários

 

Fernão Lopes, viveu antes de Gil Vicente nascido entre 1378 ou 1383. O seu destaque maior foi para o lado científico na historiografia portuguesa. Mostrou como o destino do homem pode ser mudado devido a fatos econômicos, e como o povo pode ter poder nos fatos históricos. Mas apresentou a sociedade da época de maneira simples, elegante e coloquial.

 

Suas obras de destaques foram: Crônica de El-rei D.Pedro; Crônica de El-rei de.Fernando e Crônica de El-rei D.João I.

 

Garcia Resende, foi outro autor de destaque, sua obra principal foi: Trovas a Morte de D.Inês de Castro, esta obra influenciou o mesmo episódio em Os lusíadas de Luís de Camões. Com estes autores o enfoque foi mais para as crônicas, ou seja relatos de fatos da época.

 

Mas também teve outro tipo de prosa:

 

Prosa doutrinaria (ou ensinanças)

 

estas eram obras de caráter didático, ou seja, para o ensino, especialmente de nobreza. Se comparar com os dias de hoje seriam como livros de aula, tal como um livro de português, ou matemática.

 

Novelas de cavalaria

 

estas eram narrativas que valorizavam os feitos heróicos de cavaleiros medievais em combates e aventuras, estas sempre contra monstros ou guerreiros pagãos em prol de Deus ou por amor a uma Dama.

 

Estas novelas podem ser divididas em três partes:

 

Ciclo bretão ou arturiano: As histórias do rei Artur e os cavaleiros da Távola Redonda;

 

Ciclo carolíngio: As histórias sobre Carlos Magno e os 12 pares da França ;

 

Ciclo clássico: Histórias sobre os personagens e acontecimentos da antiguidade grego-latino.

 

A Poesia

 

A poesia palaciana era elaborada para ser lida e recitada em cortes, ser apreciada pelos nobres, mas não deixava de lado alguns temas comuns aos trovadores medievais. Com a dor por amor, geralmente um amor não correspondido ou impossível, a suplica e a sátira, bem usada para expressar suas opiniões sobre a atitude de autoridades tanto na política como na religião.

 

A diferença neste período como o trovadorismo é que o poeta trabalha com superioridade, ou seja, valorizando sua obra e o homem.

 

Quer receber novidades e e-books gratuitos?

Cursos Online

  • Banco de Dados
  • Carreira
  • Criação/Web
  • Excel/Projetos
  • Formação
  • + Todas as categorias
  • Contato: Telefone: (51) 3717-3796 | E-mail: webmaster@juliobattisti.com.br | Whatsapp: (51) 99627-3434

    Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda | CNPJ: 08.916.484/0001-25 | Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 - Universitário, Santa Cruz do Sul/RS, CEP: 96816-208

    Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2020 ®

    [LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

    APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI