[MEU 50º LIVRO]: BANCOS DE DADOS E ACESS - CURSO COMPLETO - DO BÁSICO AO VBA - 1602 páginas

Páginas: 1602 | Autor: Júlio Battisti | 40% de Desconto e 70h de Vídeo Aulas de Bônus

Você está em: PrincipalArtigosWindows 2003 Server › Capítulo 17 : 03
Quer receber novidades e e-books gratuitos?
›››
« Lição anterior Δ Página principal ¤ Capítulos Próxima lição »
WINDOWS 2003 SERVER - CURSO COMPLETO
Autor: Júlio Battisti


Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory - Curso Completo, 2100 Páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!

Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory

Curso Completo, 2100 páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!


Lição 151 - Capítulo 17 - Know-how em: Implementação e Administração do Terminal Services

Pré-Requisitos: Conceitos teóricos sobre o Terminal Services.
Metodologia: Executar as ações práticas de implementação e administração do Terminal Services.
Técnica: Exemplos práticos, passo-a-passo.

Para utilizar o Terminal Services no modo de administração remota, com suporte a duas conexões simultâneas, não é preciso instalar o serviço do Terminal Services. Para isso basta habilitar o recurso de Desktop Remoto, que é uma novidade introduzida no Windows XP (com suporte a uma única conexão) e que também está presente no Windows Server 2003 (com suporte a duas conexões simultâneas).

Para habilitar o recurso de Desktop Remoto siga os passos indicados a seguir:

1.         Faça o logon com administrador ou com uma conta com permissão de administrador.
2.         Abra o Painel de controle: Start -> Control panel (Iniciar -> Painel de controle).
3.         Dê um clique duplo na opção System (Sistema).
4.         Será aberta a janela de propriedades do sistema, com a guia General (Geral) selecionada. Dê um clique na guia Remote (Remoto). Será exibida a janela indicada na Figura 17.3


Figura 17.3 Habilitando o recurso de Desktop Remoto.

5.         Marque a opção Allow users to connect remotely to this computer (Permita aos usuários conectarem-se remotamente a este computador). Ao marcar esta opção você está habilitando outros usuários a se conectarem remotamente ao servidor. Esta opção habilita até duas conexões simultâneas, ou seja, é exatamente a mesma funcionalidade do Terminal Services em modo de administração, no Windows 2000 Server.

Nota: Caso alguma das contas de usuário esteja com senha em branco, será exibida uma mensagem de advertência. Clique em OK para fecha-la. Estas contas não poderão ser utilizadas para fazer a conexão remota, já que o Windows Server 2003 exige que as contas que se conectam remotamente, tenham uma senha definida.

6.         Por padrão somente o usuário Administrator (Administrador) terá permissão para fazer a conexão remota. Você poderá adicionar outros usuários com permissão para fazer a conexão remota. Para isso clique no botão Select Remote Users... (Selecionar usuários remotos...).
7.         Será exibida a janela Remote Desktop Users (Usuários do desktop remoto). Observe a mensagem nesta janela, informando que o usuário Adminsitrator (Administrador) já tem permissão de conexão remota, por padrão. Para adicionar novos usuários clique em Add... (Adicionar). Será aberta a janela Select Users or Groups (Selecionar usuários ou grupos), já descrita no Capítulo 9. Informe o nome dos usuários que terão permissão de conexão remota, digitando os nomes separando-os por ponto-e-vírgula, conforme exemplo da Figura 17.4, ou utilize o botão Advanced.. (Avançado...), para selecionar os usuários da lista de usuários do Active Directory.


Figura 17.4 Definindo os usuários que terão permissão de se conectar remotamente.

8. Clique em OK. Você estará de volta a guia Remote Desktop Users (Usuários de Desktop Remoto), com os usuários selecionados já adicionados à lista, conforme indicado na Figura 17.5:


Figura 17.5 Lista de usuários com permissão de acesso remoto.

9.         Clique em OK para fechá-la. Você estará de volta à janela de propriedades do sistema. Clique em OK para fechá-la.

Pronto, agora o servidor está configurado para ser acessado remotamente, com permissão para até duas conexões simultâneas. A seguir mostrarei como fazer um conexão com este servidor, utilizando o Terminal Services Cliente, em um computador com o Windows 2000 Server instalado. Caso o Terminal Services Cliente não esteja instalado, no Windows 2000, você pode instala-lo a partir do arquivo adminpak.msi, o qual encontra-se na pasta onde o Windows 2000 Server está instalado, dentro da subpasta system32 . Este arquivo contém um pacote de ferramentas administrativas para o Windows 2000 Server, dentre as quais o Terminal Services Client. Para instalar este pacote de ferramenas, basta dar um clique duplo no arquivo adminpak.msi e seguir as instruções do assistente de instalação.

Para se conectar remotamente ao console de um servidor com o Windows Server 2003, com o recurso de Desktop Remoto habilitado, usando o Terminal Services Cliente, siga os passos indicados a seguir:

1.         Faça o logon no computador onde está instalado o Terminal Services Client. Faça o logon utilizando uma conta com permissão de logon via Desktop Remoto.
2.         Abra o Terminal Services Cliente: Inicar -> Programas -> Ferramentas administrativas -> Cliente dos serviços de terminal -> Cliente de serviços de terminal.
3.         Será aberta a janela Cliente de serviços de terminal, indicada na Figura 17.6. Nesta janela você deve informar o nome ou o número IP do servidor com o qual você deseja se conectar (campo Servidor). Você deve selecionar a resolução a ser utilizada (800x600 no exemplo da Figura 17.6). Você também pode habilitar as opções Ativar compactação de dados e Armazenar bitmap em cache em disco. Estas duas opções ajudam a reduzir a quantidade de informações que é enviada através da rede, entre o cliente e o servidor. Marque as opções desejadas, conforme exemplo da Figura 17.6 e clique em Conectar-se.


Figura 17.6 Informações para conexão.

4.         Será exibida a tela de logon do servidor com o qual você está fazendo a conexão. Informe o nome de usuário e senha para logon, conforme exemplo da Figura 17.7 e clique em OK, para fazer a conexãor remotamente.


Figura 17.7 Fazendo o logon remotamente.

5.         Preencha as informações de logon e clique em OK. Pronto, agora é só aguardar. O logon será efetuado e a área de trabalho do servidor remoto será carregada, como se você tivesse feito o logon localmente, conforme indicado na Figura 17.8:


Figura 17.8 Conexão efetuada com o desktop remoto.

O desktop remoto passa a ser apenas mais uma janela dentro da sua área de trabalho. Você pode alternar entre o desktop remoto e a área de trabalho do computador local, com um simples clique de mouse. A partir deste momento é como se você estivesse “em frente” ao servidor remoto, como se tivesse feito o logon localmente neste servidor.

6.         Para encerrar a conexão, faça um log off. Não utiliza a opção Desligar, senão você irá realmente desligar, dar um shutdown no servidor remoto. Lembre-se que a conexão via desktop remoto é como se você estivesse localmente logado no servidor. Ao fazer o logoff será exibida novamente a janela de conexão, da Figura 17.6. Para fechá-la clique em Cancelar.

Observe que com esta funcionalidade, a partir da sua estação de trabalho, o administrador poderá se conectar a qualquer servidor com o recurso de Desktop Remoto habilitado. É realmente uma ferramenta de administração muito poderosa e que facilita, e muito, a vida do administrador. A única limitação desta ferramenta é o número máximo de duas conexões simultâneas.

Utilizando o Terminal Services no modo de Compartilhamento de Aplicações:

Para utilizar o Terminal Services no modo de compartilhamento de aplicações, você deve instalar o serviço Terminal Services (Serviços de Terminal). Após a instalação você deve instalara as aplicações que serão compartilhadas e configurar o número de licenças de acordo com o número de usuários que irão acessar o Terminal Services no modo de compartilhamento de aplicações. A seguir você aprenderá a executar estas tarefas.

Instalando o serviço Terminal Services.

Instalando o Terminal Services: Para instalar o Terminal Services siga os passos indicados a seguir:

1.         Faça o logon como administrador ou com uma conta com permissão de administrador.
2.         Abra o Painel de Controle: Start -> Control Panel (Iniciar -> Painel de Controle).
3.         Dê um clique duplo na opção Add or remove programs (Adicionar ou remover progrmas).
4.         Será exibida a janela Add or remove programs (Adicionar ou remover progrmas). Nas opções do lado esquerdo da janela, dê um clique na opção Add/Remove Windows Components (Adicionar ou Remover Componentes do Windows)
5.         Será aberto o assistente de componentes do Windows.
6.         O Terminal Services é um dos compontentes do Windows Server 2003. Para que os clientes possam se conectar com o Terminal Services você também deve adicionar o Terminal Server Licensing, que é o componente que permitirá que o administrador adicione mais licenças, habilitando mais usuários a fazer a conexão via Terminal Services. Localize estas duas opções (Terminal Server e Terminal Server Licensing) e dê um clique para marcá-las, conforme indicado na Figura 17.9.


Figura 17.9 Selecionando o Terminal Services para instalação.

7.         Clique em Next (Avançar), para seguir para a próxima etapa do assistente.

Será exibida uma mensagem de aviso, indicada na Figura 16.10, com diversas informações relevantes.


Figura 17.10 A tela com avisos importantes.

A primeira informação relevante é que, por padrão, somente os membros do grupo Administrators (Administradores) tem permissão para conectar-se remotamente ao Terminal Services no modo de compartilhamento de aplicação. Para permitir que outros usuários possam fazer essa conexão remotamente, você deve adicionar as contas dos usuários que farão a conexão, ao grupo Remote Desktop Users (Usuários do Desktop Remoto).

Também é emitido um aviso que as aplicações atualmente instaladas não estarão habilitadas para o modo de compartilhamento de aplicação, ou seja, para que elas possam ser acessadas por múltiplos usuários, elas deverão ser reinstaladas no servidor. Você deve ter cuidado, pois esta mensagem está bastante confusa e leva a interpretações incorretas.Da maneira como a mensagem foi redigida, dá a impressão que depois da instalação do Terminal Services, todas as aplicações deixarão de funcionar, mesmo localmente, no servidor. Isso não é verdade. O que a mensagem “queria ter dito” é que as aplicações atualmente instaladas, não estarão automticamente habilitadas para serem usadas no modo de compartilhamento. Mas continuarão funcionando, localmente, sem problema nenhum.

É importante salientar que nem todas as aplicações do mercado são compatíveis com o modo de compartilhamento de aplicação. Não significa que se a aplicação rodar isoladamente no servidor, irá também funcionar no modo de compartilhamento de aplicação, para que vários usuários possam acessá-la simultaneamente. Evidentemente que a grande maioria das aplicações é comptatível com o modo de compartilhamento. Todas as aplicações que foram testadas e certificadas para o uso com o Windows Server 2003, irão rodar, sem problemas, no modo de compartilhamento de aplicações. No site www.veritest.com, você encontra uma lista das aplicações certificadas para o Windows Server 2003.

Nesta tela também é emitido um aviso de que o terminal services funcionará pro 120 dias. Durante este período você deve adquirir as licenças necessárias junto à Microsoft e configurá-las utilizando o Terminal Server Licensing. Não esqueça deste detalhe para os exames de Certificação do MCSE 2003. Seria uma boa questão.

8.         Clique em Next (Avançar), para seguir para a próxima etapa do assistente.
9.         Nesta etapa você deve selecioanr o modo de segurança que será utilizado. O modo Full Security é bem mais seguro, e disponibiliza os novos recursos do Windows Server 2003 em realão á segurança, porém pode ser incompatível com algumas aplicações mais antigas. Você pode selecionar este modo durante a instalação e se houver aplicações críticas que não são compatíveis com este modo, você pode alternar para o modo Relaxed Security, a qualquer momento, utilizando o console de configuração do Terminal Services, o qual será visto mais adiante.
10.       Selecione o modo Full Security e clique em Next (Avançar), para seguir para a próxima etapa do assistente.
11.       Nesta etapa você deve definir se o Terminal Server Licensing que está sendo instalado irá gerenciar o licenciamento do Terminal Services em toda a empresa ou apenas no domínio onde ele está sendo instalado. Selecione a opção desejada e lique em Next (Avançar), para seguir para a próxima etapa do assistente.
12.       O Windows Server 2003 inicia o processo de instalação e emite mensagens sobre o andamento da instalação. Durante a etapa de cópia dos arquivos você pode ser solicitado a inserir o CD de instalação do Windows Server 2003 no drive, conforme exemplo da Figura 17.11:


Figura 17.11 O assistente solicita o CD de instalação do Windows Server 2003.

13.       O assistente detecta que o CD foi inserido no drive e continua o processo de instalação.
14.       A tela final do assistente é exibida com uma mensagem informando que o assistente foi concluído com sucesso. Clique em Finish (Concluir) para fechar o assistente.
15.       É exibida uma mensagem de que o servidor deve ser reinicializado. Clique em Yes (Sim) para reiniciá-lo.

Pronto, o Terminal Server e o Terminal Server Licensing foram instalados e estão prontos para serem utilizados. Agora você aprenderá sobre como instalar programas para rodar no modo de compartilhamento de aplicação e como configurar o licensiamento do Terminal Services.

O servidor será inicializado e, no primeiro logon, após a instalação do Terminal Services, o sistema de Ajuda do Terminal Services será automaticamente carregado e exibido, conforme indicado na Figura 17.12:


Figura 17.12 O sistema de Ajuda do Terminal Services.

Configurando o licenciamento para o Terminal Services.

Conforme descrito anteriormente, você deve instalar e configurar o Terminal Services Licensing, para que os clientes possam acessar o Terminal Services no modo de compartilhamento de aplicações. Se não for configurado o licensiamento, o Terminal Services deixará de funcionar após 120 dias.
O Terminal Server requer licenças para que os clientes possam fazer o logon. Qualquer cliente que tente fazer o logon no Terminal Services, deve ser capaz de receber uma licensa de acesso válida, a qual é disponibilizada pelo Terminal Server Licensing. Sem receber a licença, não será permitido o logon do cliente.

O licensiamento do terminal services é “separado” do licenciamento do Windows Server 2003. Conforme comentado no Capítulo 3, sobre instalação do Windows Server 2003, devem ser adquiridas as chamadas CAL – Cliente Access License, para que clientes da rede possam se conectar aos servidores com o Windows Server 2003. Já para o Terminal Services é outro tipo de licença, ou seja, o fato de ter licenças para conectar com o Windows Server 2003, não implica que estas licenças também sejam válidas para o Terminal Services no modo de compartilhamento de aplicações. Licenças específicas, para acessar o Terminal Services no modo de compartilhamento de aplicações, devem ser ativadas.

Após ter comprado as licenças de acesso via Terminal Services, junto à Microsoft, você deve utiliar o Terminal Services Licensing para configurá-las. As informações sobre o número total de licenças disponíveis, o número de licenças em uso e o número de licenças ainda livres para serem utilizadas por novas conexões, são armazenadas no Terminal Services Licensing. Quando um cliente tenta fazer uma conexão com o Terminal Services, este entra em contato com o Terminal Services Licensing para verificar se existem licenças disponível, ou melhor, se existe, pelo menos, uma licença disponível para o novo cliente que está tentando se conectar.

Um único Terminal Server Licensing pode ser utilizado por vários servidores com o Terminal Server em modo de compartilhamento de aplicação.

Nota: Após a instalação do Terminal Services no modo de compartilhamento de aplicações, será possível utilizá-lo, sem a compra das licenças de acesso, durante um período de 120 dias. Terminado este período, os clientes não conseguirão mais se conectar, enquanto não forem ativadas e configuradas as licenças de acesso.

Após ter instalado o Terminal Server Licensing você deve ativá-lo e instalar as licenças de acesso que foram adquiridas junto à Microsoft. Isso é feito através do uso do Terminar Server License Server Activation Wizard (Assistente para ativação das licenças do Terminal Server)

Para ativar o licenciamento você precisará de uma conexão com a Internet. Também é possível fazer a ativação por telefone. A seguir mostro os passos para a ativação via Internet.

Nota: Dependendo das configurações que você estiver utilizando no Internet Explorer, pode ser necessária a adição do site de ativação da Microsoft, na lista de sites confiáveis.

Para ativar o licenciamento automaticamente, siga os passos indicados a seguir:

1.         Faça o logon como administrador ou com uma conta com permissão de administrador.
2.         Certifique-se de que você tem uma conexão com a Internet.
3.         Abra o console Terminal Server Licensing: Start -> Administrative Tools -> Terminal Server Licensing (Iniciar -> Ferramentas adminitrativas -> Licenciamento de serviços de terminal).
4.         Clique com o botão direito do mouse no nome do servidor para o qual será ativado o licenciamento.
5.         No menu de opções que é exibido clique em Activate Server (Ativar Servidor).
6.         Será aberto o assistente para ativação das licenças.
7.         Clique em Next (Avançar) para seguir para a próxima etapa do assistente.
8.         Será exibida a tela para que você selecione o método de conexão. Por padrão vem selecionada a opção Automatic connection (Conexão automática) que é o método recomendado. Aceite este método e clique em Next (Avançar) para seguir para a próxima etapa do assistente.
9.         O assistente demora alguns instantes, tentando localizar o servidor da Microsoft responsável pelo licenciamento e exibe uma tela para que você preencha os dados da sua empresa, conforme indicado na Figura 17.13:


Figura 17.13 Informações sobre a empresa.

10.       Clique em Next (Avançar) para seguir para a próxima etapa do assistente.
11.       É exibida uma tela onde você pode preencher informações tais como email, nome da empresa ou filial, Endereço, Cidade, Estado e CEP. Estas informações são opcionais.
12.       Clique em Next (Avançar) para seguir para a próxima etapa do assistente.
13.       O assistente tenta entrar em contato com um servidor de ativação da Microsoft, conforme indicado na Figura 17.14:


Figura 17.14 Localizando um servidor de ativação.

14.       Será exibida a tela final do assistente, informando que o servidor de licenciamento foi ativado com sucesso. A próxima etapa é instalar as licenças no Terminal Services Licensing. Certifique-se de que a opção Start Terminal Server Client Licensing Wizard now  esteja marcada. Com esta opção marcada, o Windows Server 2003 já abre o assistente para instalação das licenças de cliente.
15.       Clique em Next para abrir o assistente de instalação das licenças.
16.       Será aberto o assistente para instalação das CAL (Cliente Access License) do Terminal Server. A primeira etapa do assistente é apenas informativa. Clique em Next (Avançar) para seguir para a próxima etapa do assistente.
17.       Novamente o assistente tenta se conectar com o servidor de ativação da Microsoft.
18.       Em seguida é exibida a tela para que você informe o tipo de contrato de licenciamento utilizado pela sua empresa. (dentre os vários programas de licenciamento disponibilizados pela Microsoft). Selecione o tipo de contrato e clique em Next (Avançar) para seguir para a próxima etapa do assistente.
19.       Nesta etapa, indicada na Figura 17.16, você tem que informar o código de habilitação para cada licença. Este código é fornecido pela Microsoft, quando você compra as licenças de acesso. Informe o código para cada licença e depois clique no botão Add.
20.       Depois é só seguir as etapas restantes do assistente e pronto, o Terminal Services estará pronto para ser utilizado no modo de compartilhamento de aplicações. Que dizer, quase pronto, pois ainda resta você aprender como instalar as aplicações para que possam ser acessadas no modo compartilhado. Conforme descrito anteriormente, as aplicações que já estavam instaladas, antes da instalação do Terminal Services, não estarão habilitadas para o uso compartilhado. Para tal elas terão que ser reinstaladas. No próximo tópico você aprenderá como instalar aplicações para uso compartilhado, via Terminal Services no modo de compartilhamento de aplicações.

Instalando aplicações para uso no modo compartilhado.

Se você estiver utilizando o Terminal Services no modo de administração (apenas habilitando o recurso de Desktop Remoto), não serão precisos cuidados adicionais para instalar as aplicações. Ou seja, o processo de instalação é o mesmo de instalar um aplicativo no Windows Server 2003, nada de diferente. Isso porque neste modo, o número máximo de conexões simultâneas é dois e este modo é utilizado, pelo administrador, para acessar os consoles administrativos do Windows Server 2003 (DNS, WINS, DHCP, Active Directory Users and Computers e assim por diante).

Já no modo de Compartilhamento de Aplicações existem alguns pontos que devem ser observados. Primeiro é importante salientar que neste modo, as aplicações poderão ser utilizadas por vários usuários conectados simultaneamente. O Windows Server 2003 terá que tratar destes acessos simultâneos, sendo capaz de manter uma ambiente personalizado para cada usuário. Aplicações que obtiveram o logotipo “Certified for Windows”, irão funcionar, sem problemas, com o Terminal Services no modo de Compartilhamento de Aplicações. Conforme citado anteriormente, no site www.veritest.com, você encontra uma relação das aplicações que possuem o logotipo “Certified for Windows”.

Para aplicações que não tem o logo “Certified for Windows” podem ser necessários passos adicionais para que ela possam ser executadas no modo de Compartilhamento de Aplicações. Algumas destas aplicações poderão ser fornecidas com scripts de adaptação, os quais deverão ser executados para que a aplicação possa ser executada no modo de Compartilhamento de Aplicações. Outras poderão, simplesmente, não funcionar neste modo.

Quando você instala o Terminal Services em modo da Compartilhamento de Aplicações, o Windows Server 2003 pode ser colocado em dois modos de operação distintos:

• Install Mode (Modo de Instalação)
• Execute Mode (Modo de Execução).

O modo de execução é o modo normal de operação, no qual deve estar o Windows Server 2003, para que os usuários possam acessar o Terminal Services e as aplicações disponíveis. Para aplicações que não tem o logotipo “Certified for Windows”, você deve alternar para o modo de instalação (Install Mode) para instalar a aplicação, caso contrário esta aplicação não irá funcionar corretamente. Após ter feito a instalação, você deve alternar de volta para o modo de execução (Execute Mode), para que a aplicação possa ser acessada pelos usuários, via Terminal Services.

Quando você inicia o processo de instalação de uma aplicação, o Windows Server 2003 é capaz de detectar a necessidade de alternar para o modo de instalação e faz esta alteração sem problemas. Quando você usa a opção Add/Remove Programs (Adicionar/Remover Programas) do Painel de controle,  o Windows Server 2003 também alterna para o modo de instalação. Uma terceira opção para alternar entre os modos de execução e instalação e vice-versa é o comando change, o qual será descrito logo a seguir.

O comando change tem diferentes opções e diferentes parâmetros de linha de comando, conforme descrito a seguir:

• change user /query -> Informa em que modo está o Windows Server 2003 (EXECUTE ou INSTALL)

• change user /install -> Habilita o modo de instalação

• change user /execute -> Retorna ao modo de execução.

Na Figura 17.15 é exibido um exemplo de execução do comando change user com as três opções descritas anteriormente.


Figura 17.15 O comando change user.

Você também pode utilizar o comando change com a opção logon, conforme descrito a seguir. Esta opção é utilizada para habilitar ou desabilitar o logon de usuários via Terminal Services.

• change logon /query -> Informa em se o logon está habilitado ou desabilitado (ENABLED ou DISABLED)

• change logon /disable -> Desabilita o logon de novos usuários. As conexões dos usuários atualmente logados, serão mantidas.

• change user /enable -> Habilita novamente o logon dos usuários, via Terminal Services.

Na Figura 17.16 é exibido um exemplo de execução do comando change logon com as três opções descritas anteriormente.


Figura 17.16 O comando change logon.

Instalando o Office 2000 para uso através do Terminal Sevices.

O Microsoft Office 2000 é um excelente exemplo de aplicação que precisa de algumas configurações especiais para que possa rodar via Terminal Services. O Offce 2000 foi projetado para ser utilizado por um único usuário por vez. Para que ele possa funcionar no Windows Server 2003, com o Terminal Services no modo de Compartilhamento de aplicações, algumas modificações devem ser efetuadas.

O primeiro passo é fazer o download de algumas ferramentas do Resource Kit do Office 2000, a partir do seguinte endereço:

http://download.microsoft.com/download/6/b/3/6b34f4c7-44e6-4d85-91d9-1acf9479da7d/orktools.exe

Nota: Caso o endereço anterior não funcione corretamente, acessa a seguinte página: http://www.microsoft.com/office/ork/2000/appndx/toolbox.htm e procure pela opção: “Office Resource Kit core tool set”

Este arquivo contém ferramentas que darão suporte a instalação do Office 2000 para uso via Terminal Services, no modo de Compartilhamento de Aplicações.

Após ter feito o download do arquivo orktools.exe e de tê-lo instalado, siga os passos indicados a seguir, para instalar o Office 2000:

1.         Faça o logon no servidor como administrador ou com uma conta com permissão de administrador.
2.         Use a opção Add/Remove Program (Adicionar/Remover Programas) do Painel de controle, para iniciar a instalação do Office 2000 a partir do drive de CD.
3.         Na linha de comando do arquivo de instalação, acrescente o seguinte texto na parte final, após o arquivo de instalação (.exe):

TRANSFORMS=”CAMINHO\termsrvr.mst”
Onde CAMINHO é o caminho completo para a pasta onde foram instaladas as ferramentas do Resource Kit do Office 2000, descritas anteriormente. Normalmente estas ferramentas são instaladas no seguinte caminho:

C:\Arquivos de programas\ORKTools\ToolBox\Tools\Terminal Server Tools\Termsrvr.mst

Observe que o arquivo que fará as modificações necessárias é passado como um parâmetro para o arquivo de instalação. O arquivo de instalação do Office 2000 irá acessar as informações do arquivo Termsrvr.mst e irá utiliza-las para criar uma instalação do Office 2000, adaptada a utilização via Terminal Services no modo de Compartilhamento de aplicações.

4.         Siga os passos do assistente de instalação para completar a instalação do Office 2000. Pronto, agora o Office 2000 está instalado e habilitado para ser utilizado via Terminal Services, no modo de Compartilhamento de aplicações. Agora os usuários poderão se conectar ao Terminal Services e utilizar os aplicativos do Office 2000 (Word, Excel, Access e PowerPoint) remotamente.

Administração do Terminal Services.

Uma vez que você instalou e colocou o Terminal Services para funcionar, é hora de conhecer as ferramentas de administração e as opções de configuração disponíveis. Existem, basicamente, três consoles para administração do Terminal Services:

•  Terminal Services Manager (Gerenciador dos Serviços de Terminal): Esta ferramenta é utilizada para monitorar e controlar as conexões com o Terminal Services. Com esta ferramenta você pode exibir todas as conexões estabelecidas com o Terminal Services.

• Terminal Services Configuration (Configuração dos serviços de terminal): Esta ferramenta é executada no servidor onde o Terminal Services está instalado. É utilizada para configurar uma série de propriedades do Terminal Services, conforme você aprenderá logo em seguida.

• Terminal Services Licensing (Licenciamento de serviços de terminal): Esta ferramenta, já utilizada anteriormente, é utilizada para ativar o Terminal Services e para configurar o número de licenças de acesso disponíveis.

A seguir você aprenderá a utilizar o Terminal Services Manager e o Terminal Services Configuration.

Gerenciando as conexões com o Terminal Services Manager.

Neste item mostrarei, através de um exemplo prático, como utilizar a ferramenta Terminal Services Manager, para executar uma série de tarefas, tais como: procurar servidores com o Terminal Services instalado, criar novas conexões, cancelar sessões e assim por diante.

Para utilizar o Terminal Services Manager, para executar uma série de tarefas administrativas, siga os passos indicados a seguir:

1.         Faça o logon como administrador ou com uma conta com permissão de administrador, no servidor onde está instalado o Terminal Services.
2.         Abra o Terminal Services Manager: Start -> Administrative Tools -> Terminal Services Manager (Iniciar -> Ferramentas administrativas -> Gerenciador de serviços de terminal.
3.         A primeira vez que você abre o Terminal Services Manager é exibida uma mensagem, indicada na Figura 17.17, avisando que algumas funcionalidades, tais como o Controle Remoto, somente estão disponíveis quando o Terminal Services Manager é utilizado através de uma sessão do Terminal Services, como por exemplo, quando o administrador se conecta ao servidor usando o recurso de Desktop Remoto e depois de conectado, abre o Terminal Services Manager.


Figura 17.17 Mensagem de aviso ao abrir o Terminal Services Manager pela primeira vez.

4.         Marque a opção In the future, do not sho this message (No futuro não exibir esta mensagem) e clique em OK para fechar a mensagem de aviso.
5.         Será exibido o consolo de administração do Terminal Services. Por padrão todos os servidores do domínio, que estão com o Terminal Services instalados, são adicionados a este console, conforme exemplo da Figura 17.18 (onde é exibido o único servidor do domínio, com o Terminal Services instalado):


Figura 17.18 O console de administração do Terminal Services.

6.         Você pode fazer com que sejam exibidos todos os servidores disponívies com o Terminal Services instalado. Você pode pesquisar em todo o domínio e retorne a lista de servidores com o Terminal Services do domínio ou pode pesquisar todos os servidores da sua rede, independentemente do domínio a qual pertencem. Para pesquisar todos os servidores com Terminal Services, do domínio, clique com o botão direito do mouse no nome do domínio a ser pesquisado e, no menu de opções que é exibido, clique em Refresh Servers in Domain (Localizar servidores no domínio). Para pesquisar todos os servidores com Terminal Services, na sua rede, independentemente do domínio, clique com o botão direito do mouse na opção All Listed Servers (Todos os servidores listados) e, no menu de opções que é exibido, clique em Refresh Servers in All Domains (Localizar servidores em todos os domínios).
7.         Para gerenciar as conexões de um servidor você deve conectar-se ao referido servidor. Para isso basta dar um clique duplo no nome do servidor, conforme exemplo da Figura 17.19, onde foi feita uma conexão com o servidor SRV-WIN2003. A cor azul do ícone, ao lado do nome do servidor, indica que a conexão foi efetuada com sucesso. Observe que, no painel da direita, são exibidas as conexões atualmente ativas e abaixo do nome do servidor são exibidas mais opções, as quais serão descritas neste exemplo.


Figura 17.19 Conectando-se com o servidor SRV-WIN2003.

8.         No painel da direita estão disponíveis três guias: Users (Usuários), Sessions (Sessões) e Processes (Processos). Por padrão a guia Users vem selecionada. No Exemplo da Figura 17.19, é exibida a lista dos usuários conectados. Observe que o usuário Administrator tem duas sessões abertas neste servidor. Uma é o logon local que ele fez, diretamente no servidor. Esta sessão é indicada pelo valor Console, na coluna Session. Console indica o logon local, diretamente no servidor. A outra sessão foi feita a partir de um computador com o Windows 2000 Server instalado, utilizando o Cliente de serviços de terminal e o logon também foi feito usando a conta Administrator. Esta sessão é identificada pelo valor RDP-Tcp#1, na coluna Session. O RDP é abreviatura de Remote Desktop Protocol, que é o protocolo utilizado para comunicação do cliente com o Terminal Services. TCP indica que este protocolo utiliza o TCP como protocolo de transporte e #1 indica que foi a primeira conexão. Ao clicar com o botão direito do mouse, em uma das sessões remotas  que estão sendo exibida (do tipo RDP), serão disponibilizada diversas opções relacionadas com a sessão, tais como: Connect (Conectar), Disconnect (Desconectar), Send a message (Enviar uma mensagem), Reset (Redefinir), Status (Status) e Log Off (Efetuar logoff). Quando você disconecta uma sessão, todos os programas que estavam abertos nesta sessão continuam sendo executados, mas as entradas e saídas desta sessão não são mais transmitidos para a sessão do cliente, conectado remotamente. Se o usuário fizer a conexão novamente, receberá o mesmo ambiente que havia anteriormente, sem perda de dados. Ao desconectar uma sessão não serão liberados recursos no servidor (tais como memória e processador) e a sessão, mesmo desconectada, continuará a contar como uma licensa de acesso que está sendo utilizada. O usuário somente pode desconectar as suas próprias sessões e o adminstrador pode disconectar as sessões de qualquer usuário. Para disconectar uma sessão basta clicar com o botão direito do mouse na sessão a ser desconectada e clicar na opção Disconnect (Desconectar). Será exibida uma mensagem pedindo confirmação, conforme indicado na Figura 17.20:


Figura 17.20 Confirmação para desconectar uma sessão.

9.         Clique em OK e pronto, a sessão será desconectada. O usuário que criou a sessão também receberá, no computador onde a sessão foi inicializada, uma mensagem de que a sessão foi desconectada pelo administrador. Uma das situações práticas onde pode ser útili o recurso de desconectar sessões, é para usuários móveis. Por exemplo, um vendedor que trabalha com um notebook e quando chega em um cliente, conecta-se a rede da empresa usando o Terminal Services. Ao invés de enderrar a sessão, ele pode simplesmente desconectá-la. Ao chegar no próximo cliente, ele conecta a sessão novamente e terá exatamente o mesmo ambiente anterior, com os mesmos programas abertos e prontos para o uso. A desvantagem desta abordagem, conforme descrito anteriormente, é que as sessões desconectadas continuam ocupando recursos de hardware no servidor, uma vez que os programas de uma sessão desconcetada, continuam rodando normalmente. O administrador pode desconectar várias sessões ao mesmo tempo. Para isso basta selecionar as sessões a serem desconectadas (usando as teclas Ctrl ou Shift, em combinação com o mouse) e depois clicar com o botão direito do mouse em uma das sessões selecioandas e, no menu de opções que é exibido, clicar em Disconnect (Desconectar).
10.       Você também pode exibir o status de uma sessão. Clique  com o botão direito do mouse na sessão e, no menu de opções que é exibido, clique em Status. Será aberta a janela de status da sessão, onde são exibidas informações tais como: bytes recebidos, bytes enviados, frames com erro, % frames com erro e assim por diante, conforme indicado na Figura 17.21. Para fechar a janela de stauts basta clicar em Close (Fechar).


Figura 17.21 Staus sobre a sessão.

11.       Você também pode redefinir (resetar seria um termo mais adequado, mas acho que ainda não existe no idioma Português) uma sessão. Para isso clique com o botão direito do mouse na sessão e no menu de opções que é exibido clique em Reset (Redefinir). Ao redefinir uma sessão, pode haver perda de dados, pois todos os programas serão encerrados, o que irá liberar recursos no servidor. Será exibida uma mensagem pedindo confirmação. Clique em OK para fechar a mensagem e redefinir a sessão. O administrador pode redefinir várias sessões ao mesmo tempo. Para isso basta selecionar as sessões a serem redefinidas (usando as teclas Ctrl ou Shift, em combinação com o mouse) e depois clicar com o botão direito do mouse em uma das sessões selecioandas e, no menu de opções que é exibido, clicar em Reset (Redefinir).
12.       Você pode enviar uma mensagem para os usuários que estão conectados via Terminal Services. A mensagem pode ser enviada para o usuário de uma única sessão ou para vários usuários. Para enviar a mensagem para mais de um usuário, basta selecionar as respectivas sessões. Após ter selecionado as sessões para as quais serão enviadas mensagens, clique com o botão direito do mouse em uma das seções selecionadas e, no menu de opções que é exibido, clique em Send Message (Enviar uma mensagem). Será aberta a janela Send Message (Enviar uma mensagem). Digite a mensagem a ser enviada, conforme exemplo da Figura 17.22:


Figura 17.22 Enviando uma mensagem

13.       Clique em OK e pronto, os usuários das sessões selecionadas, receberão a mensagem, conforme exemplo da Figura 17.23:


Figura 17.23 Mensagem recebida pelo usuário.

14.       Você também pode exibir informações sobre os processos que estão em execução por uma determinada sessão. Para isso basta dar um clique no sinal de +, ao lado do nome do servidor. Abaixo do servidor será exibida a lista das sessões do servidor. Clique na seção para a qual você deseja exibir os processos. No painel da direita serão exibidas as guias Process (Procssos) e Information (Informação). A guia Process já vem selecionada por padrão e exiba a listagem de processos em execução pela respectiva sessão, conforme exemplo da Figura 17.24:


Figura 17.24 Processos em execução por uma determinada sessão.

15.       Estas informações também pode ser exibidas a nível de servidor ou de todos os servidores do domínio. Por exemplo, se você clicar no nome de um servidor, no painel da direita serão exibidas as guias Users (Usuários), Sessions (Sessões) e Process (Processos). A guia Users exibirá a lista de todos os usuários com sessões abertas com o servidor selecionado no painel da esquerda. A guia Sessions exibira a lista de todas as sessões do servidor e a lia Process exibirá a lista de todos os processos de todas as sessões do servidor. Se você clicar no nome do domínio, serão exibidas as mesmas guias: Users (Usuários), Sessions (Sessões) e Process (Processos), porém em cada guia, serão exibidas informações sobre todo o domínio. Por exemplo, quando um domínio está selecionado e você clica na guia Sessions, será exibida a listagem de todas as sessões em todos os servidores Terminal Services do domínio.
16.       Feche o console de Administração do Terminal Services.

Configurações do Terminal Services.

Neste item mostrarei, através de um exemplo prático, como utilizar a ferramenta Terminal Services Configuration (Configuração dos serviços de terminal). Com esta ferramenta você pode definir uma série de configurações para o Terminal Services.

Para configurar o Terminal Services, utilizando o Terminal Services Configuration, siga os passos indicados a seguir:

1.         Faça o logon como administrador ou com uma conta com permissão de administrador.
2.         Abra o Terminal Services Configuration: Start -> Administrative Tools -> Terminal Services Configuration  (Iniciar -> Ferramentas administrativas -> Configuração dos serviços de terminal.
3.         Será aberto o console de configuração do Terminal Services, com as opções Connections (Conexões) e Server Settings (Configurações do servidor) disponíveis, conforme indicado na Figura 17.25.      


Figura 17.25 O console de configuração do Terminal Services.

4.         A maioria das configurações disponíveis são feitas através da opção Connections (Conexões). Clique na opção Connections. No painel da direita será exibida a opção RDP-Tcp. Clique com o botão direito do mouse nesta opção. No menu de opções que é exibido, clique em Properties (Propriedades). Será aberta a janela de propriedades, na qual você pode definir uma série de propriedades que serão aplicadas às conexões do Terminal Services. Por padrão, a guia General (Geral) vem selecionada, conforme indicado na Figura 17.26:


Figura 17.26 A guia Geral de Propriedades da sessão.

Nesta guia estão disponíveis as seguintes opções de configuração:

• Comment (Comentário): Fornece um espaço para que você insira informações sobre as conexões, como por exemplo: Conexões no domínio ABC.

• Encryption level (Nível de criptografia): Lista os níveis disponíveis de criptografia usados para proteger os dados enviados entre o cliente e o servidor. Todos os níveis utilizam a criptografia RSA RC4. O nível Client Compatible (Compatível com o cliente), faz a criptografia dos dados trocados entre o cliente e o servidor, usando o tamanho máximo de chave suportado pelo cliente. Este nível é aconselhável para ambientes que tem uma variedade diferente de clientes se conectando com o Terminal Services, tais como diferentes versões do Windows, Linux, Macintosh e assim por diante. O nível Baixo criptografa dados enviados do cliente para o servidor usando uma chave de 40 bits ou de 56 bits. O Terminal Services usa uma chave de 56 bits quando os clientes do Windows 2000 ou XP se conectam e uma chave de 40 bits quando a conexão é efetuada com versões anteriores do cliente. Essa criptografia baseada apenas em entrada é usada para proteger dados confidenciais como, por exemplo, a senha de um usuário. O nível Médio criptografa dados enviados do cliente para o servidor e do servidor para o cliente usando uma chave de 40 bits ou de 56 bits. O Terminal Services usa uma chave de 56 bits quando os clientes do Windows 2000 ou XP se conectam e uma chave de 40 bits quando a conexão é efetuada com versões anteriores do cliente. Use a criptografia média para assegurar os dados confidenciais quando eles forem transportados pela rede para exibição em clientes remotos. Se você estiver nos Estados Unidos ou Canadá, poderá selecionar o nível Alto, que criptografa dados enviados do cliente para o servidor e do servidor para o cliente usando a criptografia de 128 bits de alta segurança.

• Use standard Windows authentication (Usar autenticação padrão do Windows): Especifica se o padrão da conexão será a autenticação padrão do Windows quando um outro pacote de autenticação estiver instalado no servidor.

5.         Defina as opções desejadas e dê um clique na guia Logon settings (Configurações de logon). Serão exibidas as opções indicadas na Figura 17.27


Figura 17.27 A guia de configurações de logon, das Propriedades da sessão.

Nesta guia estão disponíveis as seguintes opções de configuração:

• Use client-provided logon information (Usar informações de logon fornecidas pelo cliente): Esta é a opção marcada por padrão. Especifica que as configurações de logon são recuperadas do cliente. As configurações do cliente são definidas no Gerenciador de conexões de cliente.

• Allways use the following logon information (Sempre usar as seguintes informações de logon): Ao marcar esta opção você poderá definir as informações de logon a serem utilizadas. Ao marcar esta opção, serão habilitados os campos para que você digite o nome de uma conta, domínio e a respectiva senha (duas vezes). As informações fornecidas serão utilizadas para efetuar o logon em todas as sessões.

• Allways prompt for password (Sempre pedir senha): Especifica se o usuário sempre será solicitado a fornecer uma senha antes de efetuar logon no servidor.

6.         Defina as opções desejadas e dê um clique na guia Sessions (Sessões). Serão exibidas as opções indicadas na Figura 17.28


Figura 17.28 A guia Sessions, das Propriedades da sessão.

Nesta guia estão disponíveis as seguintes opções de configuração:

• Primeira opção - Overrride user settings (Ignorar configurações do usuário): Especifica se serão substituídas as configurações definidas por padrão na conta do usuário (Guia Terminal Services). Ao marcar esta opção, serão habilitadas as listas: End a disconnected session (Encerrar uma seção desconectada), Active session limit (Limit de sessão ativa) e Idle session limit (Limite de sessão ociosa).

Na lista End a disconnected session, você pode digitar ou selecionar o tempo máximo que uma sessão desconectada permanecerá no servidor. Quando o tempo limite é alcançado, a sessão desconectada será encerrada. Quando uma sessão é encerrada, ela é excluída permanentemente do servidor. Selecione Nunca para permitir que as sessões desconectadas permaneçam no servidor indefinidamente. Você pode selecionar o espaço de tempo ou digitar o número de minutos, horas ou dias na caixa. Especifique as unidades de tempo usando m para minutos, h para horas e d para dias. O tempo máximo que pode ser especificado é de 49 dias, 17 horas.

Na lista Active session limit, você pode digitar ou selecionar o tempo máximo que uma sessão de usuário pode permanecer ativa no servidor. Quando o tempo limite for alcançado, o usuário será desconectado da sessão ou a sessão será encerrada. Quando uma sessão é encerrada, ela é excluída permanentemente do servidor. Selecione Nunca para permitir que a sessão continue indefinidamente. Você pode selecionar o espaço de tempo ou digitar o número de minutos, horas ou dias na caixa. Especifique as unidades de tempo usando m para minutos, h para horas e d para dias. O tempo máximo que pode ser especificado é de 49 dias, 17 horas.

Na lista Idle session limit, você pode digitar ou selecionar o tempo máximo que uma sessão ociosa (sessão sem atividade do cliente) permanece no servidor. Quando o tempo limite é alcançado, o usuário é desconectado da sessão ou a sessão é encerrada. Quando uma sessão é encerrada, ela é excluída permanentemente do servidor. Selecione Nunca para permitir que as sessões desconectadas permaneçam no servidor indefinidamente. Você pode selecionar o espaço de tempo ou digitar o número de minutos, horas ou dias na caixa. Especifique as unidades de tempo usando m para minutos, h para horas e d para dias. O tempo máximo que pode ser especificado é de 49 dias, 17 horas.

• Segunda opção - Overrride user settings (Ignorar configurações do usuário): Ao selecionar esta opção, serão habilitadas opções para você definir qual deve ser o comportamento do Terminal Services quando o limite de tempo da sessão for atingido ou a conexão for interrompida, sobrescrevendo as opções definidas nas propriedades da conta do usuário, no domínio. Ao marcar esta opção, serão habilitadas as opções a seguir:

Disconnect from session (Desconectar-se da seção): Esta opção especifica que o usuário será desconectado da sessão quando o limite da sessão for alcançado ou quando a conexão for interrompida.

End session (Encerrar a sessão): Esta opção especifica que uma sessão será encerrada quando seu tempo limite for alcançado ou a conexão for interrompida. Quando uma sessão é encerrada, ela é excluída permanentemente do servidor.

• Terceira opção – Allow reconection (Permitir reconexão): Ao selecionar esta opção, serão habilitadas opções para você definir qual deve ser o comportamento do Terminal Services em relação à reconexões, sobrescrevendo as opções definidas nas propriedades da conta do usuário, no domínio. Ao marcar esta opção, serão habilitadas as opções a seguir

From any client (De qualquer cliente): Esta opção especifica que os usuários têm permissão para reconectar-se com uma sessão desconectada a partir de qualquer computador. Por padrão, Serviços de terminal permite a reconexão com uma sessão desconectada em qualquer computador.

From prvious client (Do cliente anterior): Esta opção especifica que os usuários têm permissão para reconectar-se com uma sessão desconectada apenas a partir do computador no qual a sessão teve origem. Essa opção somente oferece suporte a clientes Citrix ICA que fornecem um número de série ao conectar-se.

7.         Defina as opções desejadas e dê um clique na guia Environment (Ambiente). Serão exibidas as opções indicadas na Figura 17.29:


Figura 17.29 A guia de Environment, das Propriedades da sessão.

Nesta guia estão disponíveis as seguintes opções de configuração:

• Overrride settings from user profile and Remote Desktop  Connection or Terminal Services Client (Ignorar configurações do perfil do usuário, do Desktop Remoto e do cliente do Terminal Services): Define que devem ser ignoradas as configurações do ambiente, definidas no cliente, como por exemplo as configurações definidas na guia Profile (Ambiente), da janela de propriedades da conta do usuário. Ao marcar esta opção serão habilitados dois campos, um para que você digite o nome de um programa a ser executado quando a sessão é inicializada e outro para informar a pasta onde está o referido programa.

8.         Defina as opções desejadas e dê um clique na guia Remote Control (Controle Remoto). Serão exibidas as opções indicadas na Figura 17.30:


Figura 17.30 A guia Remote Control, das Propriedades da sessão.

O controle remoto é um recurso que permite ao administrador tomar o controle de uma sessão do usuário e ter acesso ao mesmo console que está sendo exibido ao usuário. Ao fazer o controle remoto, o administrador também terá o controle do mouse e do teclado do usuário. Na prática é como se o administrador estivesse sentado em frente ao computador no qual o usuário iniciou a sessão. O controle remoto é uma excelente ferramenta para suporte remoto. Pode ser habilitado ou desabilitado a nível de usuário, na guia Remoto da janela de propriedades da conta do usuário. Nesta guia estão disponíveis as seguintes opções de configuração:

• Use remote control with default user settings (Usar o controle remoto com as configurações padrão do usuário): Esta opção especifica que as configurações de controle remoto serão recuperadas das configurações definidas nas propriedades da conta do usuário.

• Do not allow remote control (Não permitir o controle remoto): Desabilita a funcionalidade de controle remoto.

• Use remote control with the following settings (Usar o controle remoto com as seguintes configurações): Especifica que o controle remoto será permitido na conexão e permitirá a definição de configurações de acesso remoto. A configuração do controle remoto em cada conexão afetará todas as sessões que utilizam a conexão. Ao marcar esta opção, serão habilitadas as seguintes configurações adicionais:

Require user’s permission (Exigir permissão do usuário): Especifica se será exigida a permissão de usuário para controlar a sessão remotamente. Quando esta opção for marcada, uma mensagem será exibida para o cliente, solicitando permissão para que o administrador possa visualizar ou participar da sessão.

Level of control – View the session (Nível de controle – Exibir a sessão): Especifica que a sessão do usuário apenas poderá ser visualizada.

Level of control – Interact with the session (Nível de controle – Interagir com a sessão): Especifica que a sessão do usuário poderá ser controlada ativamente com o teclado e o mouse, pelo administrador.

9.         Defina as opções desejadas e dê um clique na guia Client settings (Configurações do cliente). Serão exibidas as opções indicadas na Figura 17.31:


Figura 17.31 A guia Client settings, das Propriedades da sessão.

Com as opções desta guia você define uma série de configurações relacionadas ao cliente que está criando a sessão. Nesta guia estão disponíveis as seguintes opções de configuração:

• Use connections settings from user settings (Usar configurações de conexão do usuário): Esta opção define se as configurações de conexão, definidas nas propriedades da conta do usuário serão utilizadas. Ao desmarcar esta opção, serão habilitadas as seguintes configurações adicionais:

Connect client drivers at logon (Conectar drives do cliente ao efetuar o logon): Essa opção define se todos os drives de rede, mapeados pelo usuário, devem ser reconectados automaticamente durante o logon.

Connect client printers at logon (Conectar impressoras do cliente ao efetuar o logon): Essa opção define que as impressoras de rede, do cliente, devem ser reconectadas automaticamente, durante o logon.

Default to main client printer (Definir a impressora cliente principal como padrão): Define a impressora padrão do cliente como sendo também a impressora padrão para a sessão. Ou seja, se dentro da sessão, o usuário enviar alguma impressão, esta será enviada para a impressora definida como padrão, no computador a partir do qual o usuário se conectou ao Terminal Services.

• Limit Maximum Color Depth (Limitar número máximo de cores): Define o número máximo de cores, para configuração da tela, que pode ser utilizada através de uma sessão com o Terminal Services.

• Disable the following (Desativar o seguinte): Neste grupo estão disponíveis uma série de opções para desabilitar recursos específicos, tais como:

Drive mapping (Mapeamento de unidade): Marque esta opção para desabilitar o mapeamento de drivers do cliente.

Windows printer mapping (Mapeamento de impressoras do Windows): Especifica se o mapeamento da impressora cliente do Windows será desativado. Por padrão, esse recurso está desmarcado (ativado). Quando ativado (desmarcado), os clientes podem mapear as impressoras do Windows e todas as filas da impressora cliente serão reconectadas automaticamente quando for efetuado logon. No entanto, quando os mapeamentos de porta LPT e COM (Component Object Model, modelo de objeto componente) forem desativados (marcados), não será possível criar as impressoras manualmente. Quando desativado (marcado), os clientes não poderão mapear as impressoras do Windows e as filas da impressora cliente não serão reconectadas quando for efetuado logon. Entretanto, será possível reconectar impressoras manualmente se o mapeamento de porta LPT ou COM estiver ativado (desmarcado).

LPT port mapping (Mapeamento de portas LPT): Especifica se o mapeamento de porta LPT de cliente será desativado. Por padrão, esse recurso está desmarcado (ativado). Quando ativado (desmarcado), as portas LPT do cliente serão mapeadas automaticamente para impressão e estarão disponíveis na lista de portas do Assistente para adicionar impressora. Será preciso criar manualmente a impressora para a porta LPT usando o Assistente para adicionar impressora. Quando desativado (marcado), as portas LPT do cliente não serão mapeadas automaticamente. Você não poderá criar manualmente impressoras usando portas LPT.

COM port mapping (Mapeamento de portas COM): Especifica se o mapeamento de porta COM (Component Object Model, modelo de objeto componente) de cliente será desativado. Por padrão, este recurso está desmarcado (ativado). Quando ativado (desmarcado), as portas COM de cliente serão mapeadas automaticamente para impressão e estarão disponíveis na lista de portas do Assistente para adicionar impressora. Será preciso criar manualmente a impressora para a porta COM usando o Assistente para adicionar impressora. Quando desativado (marcado), as portas COM de cliente não serão mapeadas automaticamente. Você não poderá criar manualmente impressoras para portas COM.

Clipboard mapping (Mapeamento da área de trabalho): Especifica se o mapeamento da área de trabalho cliente será desativado. Por padrão, este recurso está desmarcado (ativado).

Audio mapping (Mapeamento de áudio): Define se o mapeamento de áudio do cliente deve ou não ser desabilitado.

10.       Defina as opções desejadas e dê um clique na guia Network adapter (Adaptador de rede). Serão exibidas as opções indicadas na Figura 17.32:


Figura 17.32 A guia Network adapter, das Propriedades da sessão.

Nesta guia você define se para efetuar conexões via Terminal Services, estarão disponíveis todos os adaptadores de rede do servidor ou somente um adaptador específico (lista Network adapter – Adaptador de rede). Você também pode definir que o servidor aceita um número ilimitado de conexões (Unlimited connections – Conexões ilimitadas) ou pode limitar o número de conexões, clicando na opção Maximum connections (Máximo de conexões) e definindo o número de conexões no campo ao lado desta opção.

11.       Defina as opções desejadas e dê um clique na guia Permissions (Permissões). Serão exibidas as opções indicadas na Figura 17.33:


Figura 17.33 A guia Permissions, das Propriedades da sessão.

Esta guia apresenta uma lista de controle de acesso (ACL – Access Control List), semelhante a lista que é apresentada, para controle das permissões de acesso em pastas e arquivos de um volume formatado com NTFS. Nesta guia você define quais usuários e grupos terão permissões de acesso as sessões do Terminal Services e qual o nível de acesso dos usuários e grupos que tem permissão de acesso.

12.       Defina as opções desejadas e dê um clique em OK para aplicar as configurações efetuadas.
13.       No painel da esquerda, clique na opção Server Settings (Configurações do servidor). Serão exibidas as opções indicadas na Figura 17.34 e descritas logo a seguir.


Figura 17.34 Opções de Configurações do servidor.

Estão disponíveis as seguintes opções de configurações do servidor:

• Delete temporary folders on exit (Excluir pastas temporárias ao sair): Define se as pastas temporárias devem ou não ser excluídas ao encerrar a sessão. O padrão é Yes (Sim). Para alterar esta configuração basta dar um clique duplo sobre ela. Será exibida a janela com os valores que podem ser definidos para esta opção (no caso Yes ou No), conforme exemplo da Figura 17.35. Clique no valor desejado e depois em OK. Este procedimento é utilizado para configurar o valor de qualquer uma das opções de configuração do servidor, ou seja, clique duplo para abrir a janela de opções. Depois clique no valor desejado para marca-lo e clique em OK para aplica-lo.


Figura 17.35 Definindo valores para a opção.

• Use temporary folders per session(Usar pastas temporárias por sessão): Por padrão está habilitada (Yes). Quando habilitada faz com que seja criada uma pasta temporária separada para cada sessão com o terminal services.

• Licensing (Licenciamento): Esta opção permite que você defina o modo de licenciamento: Per device ou Per user. Para maiores detalhes sobre as diferenças entre estes dois tipos de licenciamento, consulte o Capítulo 3.

• Active Desktop (Active Desktop): Esta opção está desabilitada (Disable) por padrão. Quando esta opção for habilitada, os usuários poderão utilizar os recursos do Active Desktop ao se conectar ao Terminal Services. Desabilite esta opção para reduzir o tráfego de rede nas sessões do Terminal Services.

• Permission Compatibility (Compatibilidade de permissão): Esta opção permite que você escolha entre Full Security e Relaxed Security. Somente use Relaxed Security se você utiliza aplicações antigas, que dependem de acesso completo a Registry do sistema. Embora o mais indicado é que estas aplicações sejam substituídas.

• Restrict each user to one session (Restringir cada usuário a uma única sessão): Quando esta opção está habilitada (que é o padrão), cada usuário poderá criar uma única sessão, ao mesmo tempo, com o Terminal Services.

• Session Directory (Diretório da sessão): Esta opção é desabilitada por padrão. Quando habilitada, permitirá o gerenciamento de sessões em um Cluster de Servidores.

14.       Defina as configurações de servidor desejadas e feche o console de configuração do Terminal Services.

Bem, sobre Terminal Services era isso. A seguir você aprenderá a utilizar algumas ferramentas de administração do Active Directory e também aprenderá sobre os DCs que também executam as chamadas Master Operations no domínio e em uma floresta.


Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory - Curso Completo, 2100 Páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!

Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory

Curso Completo, 2100 páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!


« Lição anterior Δ Página principal ¤ Capítulos Próxima lição »

Best Sellers de Excel do Julio Battisti

Todos com Vídeo Aulas, E-books e Planilhas de Bônus!

Aprenda com Júlio Battisti:
Excel 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos - Passo a Passo

 Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 540 | Editora: Instituto Alpha

 

[Livro]: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados, Tabelas Dinâmicas, Funções Avançadas, Macros e Programação VBA - Passo a Passo

Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados, Tabelas Dinâmicas, Funções Avançadas, Macros e Programação VBA - Passo a Passo

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 952 | Editora: Instituto Alpha

 

Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados, Tabelas Dinâmicas, Funções Avançadas, Macros e Programação VBA - Passo a Passo

Aprenda com Júlio Battisti: Macros e Programação VBA no Excel 2010 Através de Exemplos Práticos e Úteis - Passo a Passo

 

[LIVRO]: Aprenda com Júlio Battisti: Macros e Programação VBA no Excel 2010 Através de Exemplos Práticos e Úteis - Passo a Passo

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 1124 | Editora: Instituto Alpha

 

[LIVRO]: Aprenda com Júlio Battisti: Macros e Programação VBA no Excel 2010 Através de Exemplos Práticos e Úteis - Passo a Passo

Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 - Curso Completo - Do Básico ao Avançado, Incluindo Macros e Programação VBA - Através de Exemplos Práticos

 

[A BÍBLIA DO EXCEL]: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 - Curso Completo - Do Básico ao Avançado, Incluindo Macros e Programação VBA - Através de Exemplos Práticos Passo a Passo

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 1338 | Editora: Instituto Alpha

 

[A BÍBLIA DO EXCEL]: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 - Curso Completo - Do Básico ao Avançado, Incluindo Macros e Programação VBA - Através de Exemplos Práticos Passo a Passo

Todos os livros com dezenas de horas de vídeo aulas de bônus, preço especial (alguns com 50% de desconto). Aproveite. São poucas unidades de cada livro e por tempo limitado.

Dúvidas?

Utilize a área de comentários a seguir.

Me ajude a divulgar este conteúdo gratuito!

Use a área de comentários a seguir, diga o que achou desta lição, o que está achando do curso.
Compartilhe no Facebook, no Google+, Twitter e Pinterest.

Indique para seus amigos. Quanto mais comentários forem feitos, mais lições serão publicadas.

Quer receber novidades e e-books gratuitos?
›››

Novidades e E-books grátis

Fique por dentro das novidades, lançamento de livros, cursos, e-books e vídeo-aulas, e receba ofertas de e-books e vídeo-aulas gratuitas para download.



Institucional

  • Quem somos
  • Garantia de Entrega
  • Formas de Pagamento
  • Contato
  • O Autor
  • Endereço

  • Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda
  • CNPJ: 08.916.484/0001-25
  • Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 Universitário
  • Santa Cruz do Sul/RS
  • CEP 96816-208
  • Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2017 ®

    [LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

    APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI