[MEU 50º LIVRO]: BANCOS DE DADOS E ACESS - CURSO COMPLETO - DO BÁSICO AO VBA - 1602 páginas

Páginas: 1602 | Autor: Júlio Battisti | 40% de Desconto e 70h de Vídeo Aulas de Bônus

Você está em: PrincipalArtigosWindows 2003 Server › Capítulo 10 : 04
Quer receber novidades e e-books gratuitos?
›››
« Lição anterior Δ Página principal ¤ Capítulos Próxima lição »
WINDOWS 2003 SERVER - CURSO COMPLETO
Autor: Júlio Battisti


Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory - Curso Completo, 2100 Páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!

Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory

Curso Completo, 2100 páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!


Lição 102 - Capítulo 10 - Know-how em: Ferramentas para manutenção de discos e volumes

Pré-Requisitos: Conhecimento básico de discos, volumes e partições.

Metodologia: Apresentar em detalhes as ferramentas de manutenção.

Técnica: Exemplos práticos de utilização das ferramentas de manutenção.

O conceito de Fragmentação

A medida que arquivos vão sendo gravados, eliminados e alterados em um volume ou partição, pode ocorrer um processo conhecido como fragmentação. O  Windows Server 2003 grava as  informações de um arquivo em “pedaços/incrementos” chamados cluster. O cluster é a menor unidade de informação que pode ser gravada ou lida de um disco rígido. Por exemplo, imagine que um determinado volume ou partição possuí um cluster de 8 KB. , Ao gravar um arquivo de 1 KB, este arquivo irá comprometer todo um cluster, mesmo que não utilize todo o espaço do cluster. Isso acaba acarretando desperdício do espaço de armazenamento do disco rígido.

Para entender o que vem a ser a fragmentação, considere o seguinte. Suponha que existe uma arquivo de 20 KB gravado no disco rígido. Para 20 KB, serão necessários alocar 3 cluster (supondo um cluster de 8 KB). Ao excluir este arquivo de 20 KB, os 3 cluster por ele alocados, serão liberados. Agora vamos supor que você vá gravar um arquivo de 160 KB. Serão necessários 20 cluster (ainda supondo um cluster de 8 KB). O Windows 2000 Server utiliza os três cluster livres, depois procura por mais espaço livre no restante do disco. Com isso você pode notar que os clusters que formam o arquivo de 160 KB, não estão necessariamente gravados em regiões contínuas do disco, podendo, dependendo do tamanho do arquivo, estar espalhados por diversas regiões do disco. Este processo, em que diferentes clusters de um arquivo estão em regiões separadas do disco, é conhecido como Fragmentação. A medida que o Windows Server 2003 vai gravando, eliminando e alterando arquivos, a Fragmentação vai aumentando, podendo chegar a níveis que comprometem o desempenho das operações de leitura e escrita no disco. Para solucionar este problema existe um utilitário de “Desfragementação”, o qual deve ser utilizado para minimizar, se não eliminar, a fragmentação em volumes e partições. O Processo de desfragmentação, simplesmente procura “juntar” as diversas partes de cada arquivo, de tal forma que o desempenho no acesso ao disco seja otimizado.

Na documentação do  Windows Server 2003, encontramos a seguinte definição de cluster: “É a menor quantidade de espaço em disco que pode ser alocada para manter um arquivo. Todos os sistemas de arquivos usados pelo Windows organizam discos rígidos com base em clusters, que consistem em um ou mais setores contíguos. Quanto menor o tamanho de cluster utilizado, mais eficiente será o armazenamento de informações no disco. Se nenhum tamanho de cluster for especificado durante a formatação, o Windows assumirá os padrões com base no tamanho do volume. Esses padrões são selecionados para reduzir a quantidade de espaço perdido e a quantidade de fragmentação no volume. Um cluster também é chamado de unidade de alocação.”

O Utilitário de Desfragmentação

O utilitário de Desfragmentação do  Windows Server 2003, permite que seja feita uma análise no volume ou partição. Com base na análise, o utilitário recomenda ou não que o processo de desfragmentação seja executado. Como regra geral, somente devemos desfragmentar um volume ou partição, quando isto for indicado pelo utilitário de desfragmentação. O utilitário de desfragmentação do Windows Server 2003 está bem melhor do que nas versões anteriores.

Agora vamos aprender a utilizar este utilitário.

Exemplo: Para analisar e desfragmentar um volume ou partição, faça o seguinte:

1.         Faça o logon como administrador ou com uma conta do tipo Administrador do computador.

2.         Selecione o comando Start -> All Programs -> Acessories -> System Tools -> Disk Defragmenter (Iniciar -> Todos os programas -> Acessórios -> Ferramentas do sistema ->  Desfragmentador de disco).

Nota: Você também pode acessar o Desfragmentador de disco utilizando o Meu computador ou o Windows Explorer. Localize o drive (C:, D:, etc.) a ser desfragmentado, clique com o botão direito do mouse no referido drive e no menu que surge dê um clique na opção Properties (Propriedades). Será exibida a janela de propriedades do drive, com a guia General (Geral) selecionada. Dê um clique na guia Tools (Ferramentas) e nesta guia, dê um clique no botão Defragment Now... (Desfragmentar agora...) Você também pode abrir as propriedades de um drive, utilizando o console Gerenciamento de discos. Neste console, clique com o botão direito do mouse no volume correspondente ao drive a ser desfragmentado. No menu de opções que surge, dê um clique na opção Properties (Propriedades). Será aberta a mesma janela de propriedades descrita no início deste parágrafo.

3.         Será aberto o utilitário para a desfragmentação de unidades, conforme indicado pela Figura 9.41.


Figura 10.41 O  utilitário para desfragementação de volumes e partições.

4.         Na parte de cima da janela, é exibida uma listagem com as unidades disponíveis. Na parte de baixo é exibida a legenda, bem como os botões para ações tais como: Analyze (Analisar), Defragment (Desfragmentar) , Pause (Pausar), Stop (Interromper)  e View Report (Exibir relatório). Na parte do meio, é exibido um indicativo do andamento dos processos de Análise e Desfragmentação, quando um destes processos estiver em andamento.

5.         Para analisar o drive C:, dê um clique para marcá-lo e depois dê um clique no botão Analyze (Analisar). O  Windows Server 2003 inicia o processo de análise.

6.         Após terminar a análise, o Windows 2000 Server exibe uma janela informando se a desfragmentação é ou não recomendada. Nesta janela, está disponível um botão Exibir relatório. O relatório fornece uma série de detalhes sobre a unidade analisada, conforme indicado pela Figura 10.42.


Figura 10.42 Relatório informando que o volume deve ser desfragmentado.

7.         Dê um clique no botão Defragment (Desfragmentar), para iniciar o processo de desfragmentação.

8.         O  Windows Server 2003 mostra o andamento da desfragmentação, conforme indicado na Figura 10.43.


Figura 10.43 Andamento do processo de desfragmentação.

9.         O processo de desfragmentação pode demorar bastante tempo, dependendo do tamanho da unidade e da porcentagem de fragmentação. Além disso a unidade sendo desfragmentada não deve ter atividades de leitura e gravação, pois isso pode atrasar ainda mais o processo. O ideal é que a desfragmentação seja feita fora do horário normal de serviço, ou até mesmo agendada para rodar em horários específicos, utilizando o Agendamento de tarefas do  Windows Server 2003 (que será descrito no Capítulo 15).

10.       Você pode Pausar e até mesmo Interromper o processo de desfragmentação, utilizando os botões Stop (Parar) e Pause (Pausar). Caso você interrompa o trabalho de desfragmentação, o trabalho já realizado, não será perdido. Se você Pausar o processo, o  Windows Server 2003 inicia do ponto onde você parou, ou seja, não será necessário iniciar todo o processo novamente.

11.       Aguarde o final do processo, quando o  Windows Server 2003 exibe uma mensagem. Na janela da mensagem está disponível  o botão View Report (Exibir relatório), o qual mostra um relatório detalhado sobre a desfragmentação do drive. Clique no botão Close (Fechar). Você estará de volta a janela do Desfragmentador de disco. Agora observe a diferença na indicação dos Arquivos contíguos (indicados pela área azul), depois que o processo finaliza. A área em branco indica o espaço livre na unidade.

12.       Feche o Desfragmentador de disco.

Nota: É recomendado que você verifique a necessidade de desfragmentação, pelo menos, uma vez por mês. O sistema de arquivos NTFS evoluiu muito, desde a sua versão original. Devido a diminuição do tamanho utilizado para o cluster, a fragmentação foi bastante reduzida. Se você utiliza volumes formatados com FAT32, você estará mais sujeito a fragmentação. Nestes casos sugiro que você verifique a necessidade de desfragmentação pelo menos duas vezes a cada quinze dias.

Algumas recomendações sobre o processo de desfragmentação

Na documentação oficial do  Windows Server 2003, você encontra as seguintes recomendações relacionadas ao processo de desfragmentação de unidades:

  • Analisar antes de desfragmentar: Analise os volumes antes de desfragmentá-los. Depois de analisar um volume, uma caixa de diálogo informa a porcentagem de pastas e arquivos fragmentados no volume e recomenda o procedimento a ser adotado. Analise os volumes regularmente e desfragmente-os apenas quando o Desfragmentador de disco recomendar. Uma boa diretriz é analisar os volumes pelo menos uma vez por semana. Se você raramente precisar desfragmentar os volumes, analise-os mensalmente em vez de semanalmente.
  • Analisar depois que vários arquivos forem adicionados: Os volumes podem se tornar excessivamente fragmentados quando os usuários adicionam um grande número de arquivos ou pastas; portanto, certifique-se de analisar os volumes depois que isso acontecer. Normalmente, os volumes em servidores de arquivos devem ser desfragmentados com mais freqüência do que aqueles em estações de trabalho de um único usuário. Isto acontece porque em pastas compartilhadas, em servidores de arquivos, existem vários usuários gravando e excluindo arquivos pela rede. Este tipo de utilização faz com que o volume onde encontra-se a pasta compartilhada, fique bastante fragmentado. Tal fato acaba por comprometer o desempenho do compartilhamento, tornando as operações com arquivos bem mais lentas do que o normal.
  • Certifique-se de que o disco tenha pelo menos 15% de espaço livre: Um volume deve ter pelo menos 15% de espaço livre para que o Desfragmentador de disco desfragmente-o completa e adequadamente. O Desfragmentador de disco utiliza esse espaço como uma área de classificação para fragmentos de arquivo. Se um volume tiver menos de 15% de espaço livre, o Desfragmentador de disco o desfragmentará apenas parcialmente. Para aumentar o espaço livre em um volume, exclua os arquivos desnecessários, ou mova-os para outro disco.
  • Desfragmentar durante períodos de pouco uso: Desfragmente volumes de servidor de arquivos durante os períodos de pouco uso para minimizar os efeitos do processo de desfragmentação no desempenho do servidor de arquivos. O tempo que o Desfragmentador de disco leva para desfragmentar um volume depende de diversos fatores, inclusive do tamanho do volume, do número de arquivos que ele contém, do número de arquivos fragmentados e dos recursos de sistema disponíveis.
  • Desfragmentar depois de instalar um software ou o Windows: Desfragmente volumes depois de instalar algum software ou depois de fazer uma atualização ou instalação completa do Windows. Freqüentemente, os volumes ficam fragmentados depois de instalar softwares que gravam um grande número de arquivos no disco rígido; por isso, executar o Desfragmentador de disco ajuda a garantir o melhor desempenho do sistema de arquivos.

O comando defrag

Além do Desfragmentador de discos, você também pode utilizar o comando defrag, para efetuar a desfragmentação de partições/volumes. O comando defrag localiza e consolida arquivos de inicialização fragmentados, arquivos de dados e pastas em volumes locais.

Nota: Os comandos são executados no Command Prompt (Pormpt de Comando): Start -> All Programs -> Acessories -> Prompt de Comando (Iniciar -> Todos os Programas -> Acessórios -> Prompt de Comando). No Prompt de Comando você digita o comando e pressiona Enter para executa-lo. O Prompt de Comando é muito semelhante a uma janela do bom e velho MS-DOS.

A sintaxe para o comando defrag é a seguinte:

defrag volume [/opções]

Onde temos as seguintes opções de linha de comando:

  • /a: Analisa o volume e exibe um resumo do relatório de análise.
  • /v: Exibe a análise completa e os relatórios de desfragmentação.

Quando usado juntamente com /a, exibe somente o relatório de análise. Quando usado sozinho, exibe a análise e os relatórios de desfragmentação.

  • /f: Força a desfragmentação do volume, independentemente da necessidade de desfragmentação.
  • /?: Exibe ajuda no prompt de comando.

Algumas observações importantes:

Você não pode desfragmentar volumes que o sistema tenha marcado como o status Dirty (sujos), o que indica que podem estar corrompidos. É necessário executar o comando chkdsk em um volume com o status Dirty (sujo) antes de desfragmentá-lo. Para determinar se um volume é sujo, use o seguinte comando:

fsutil dirty query letra_da_unidade

A seguir mostro o resultado da execução do comando fsutil dirty query C:

C:\>fsutil dirty query C:
Volume - C: is NOT Dirty
C:\>

Enquanto o comando defrag estiver analisando e desfragmentando um volume, ele exibirá um cursor piscando. Quando o comando defrag terminar de analisar e desfragmentar o volume, será exibido um relatório de análise, o relatório de desfragmentação ou ambos e o prompt de comando será fechado. Por padrão, o comando defrag exibe um resumo dos relatórios de análise e desfragmentação se você não especificar os parâmetros /a ou /v.

É possível enviar relatórios para um arquivo de texto digitando > nome_do_arquivo.txt, após o comando defrag e as opções, onde nome_do_arquivo.txt é o nome de arquivo que você especificar. Por exemplo:

defrag C: /v >resultado_da_desfragmentação.txt

Para interromper o processo de desfragmentação, na linha de comando, pressione CTRL+C.

Nota: Executar o comando defrag e o Desfragmentador de disco são tarefas mutuamente exclusivas. Se você estiver usando o Desfragmentador de disco para desfragmentar um volume e executar o comando defrag em um prompt de comando, o comando defrag irá falhar. Do mesmo modo, ao executar o comando defrag e abrir o Desfragmentador de disco, as opções de desfragmentação desse utilitário não estarão disponíveis.

A utilização do comando defrag é indicada para a criação de scripts administrativos e para o agendamento do processo de desfragmentação, para que ocorra em horários e datas específicas, como por exemplo uma vez por semana, aos sábados de madrugada.

Verificando e reparando erros no sistema de arquivos e no disco rígido

O  Windows Server 2003 disponibiliza a ferramenta Error checking (Verificação de erros), para efetuar a verificação de erros em volumes (discos dinâmicos) e partições (discos básicos). Você pode utilizar a ferramenta Verificação de erros para verificar se há erros no sistema de arquivos e se existem setores defeituosos no seu disco rígido. É recomendado que você utilize esta ferramenta, antes de utilizar o desfragmentador, para garantir que o volume a ser desfragmentado, esteja livre de erros.

Exemplo: Para utilizar a ferramenta Verificação de erros, faça o seguinte:

1.         Faça o logon como Administrador ou com uma conta do tipo Administrador do computador.

2.         Abra o Meu computador.

3.         Localize a unidade na qual você quer fazer a verificação e correção de erros, clique com o botão direito do mouse na referida unidade e, no menu que é exibido, dê um clique na opção Propriedades.

4.         Será aberta a janela de propriedades da unidade, com a guia General (Geral) selecionada. Dê um clique na guia Tools (Ferramentas).

5.         Na guia Ferramentas dê um clique no botão Check Now... (Verificar agora...).

Será exibida a janela Verificar disco Disco local (C:), conforme indicado na Figura 9.23.


Figura 10.44 A janela Verificar disco.

Nesta janela estão disponíveis as seguintes opções marcar as seguintes opções:

  • Automatically fix file system errors (Corrigir erros do sistema de arquivos automaticamente): Especifica se o Windows Server 2003 deve automaticamente reparar erros de sistema de arquivos encontrados durante a verificação de disco. Todos os arquivos devem estar fechados para que o programa seja executado. Se a unidade estiver em uso no momento, uma mensagem perguntará se você deseja reagendar a verificação de disco para a próxima vez que reiniciar o computador. A unidade não ficará disponível para executar outras tarefas enquanto o disco estiver sendo verificado.
  • Scan for and attempty recovery of bad sectors (Procurar setores defeituosos e tentar recupera-los): Especifica se o Windows Server 2003 repara erros de sistema de arquivos encontrados durante a verificação de disco, localiza setores defeituosos e recupera informações legíveis. Todos os arquivos devem estar fechados para que o programa seja executado. Se a unidade estiver em uso no momento, uma mensagem perguntará se você deseja reagendar a verificação de disco para a próxima vez que reiniciar o computador. A unidade não ficará disponível para executar outras tarefas enquanto o disco estiver sendo verificado. Se você selecionar esta opção, não precisará marcar Corrigir erros do sistema de arquivos automaticamente. O Windows corrige os erros no disco.

6.         Marque as opções desejadas e dê um clique no botão Iniciar. Se algum programa estiver utilizando o disco, uma mensagem perguntará se você deseja agendar a verificação de disco para a próxima vez que o sistema for inicializado, conforme indicado na Figura 10.45.


Figura 10.45 Agendando a verificação de erro para a próxima reinicialização.

7.         Clique em Yes (Sim) para agendar a verificação para a próxima reinicialização.

8.         Você estará de volta à janela de Propriedades. Dê um clique no botão OK para fecha-la.

9.         Feche todos os programas que estiverem abertos e reinicialize o computador. Observe que durante a reinicialização é disparado o processo de verificação e correção de erros. Enquanto este processo não for concluído, a inicialização do  Windows Server 2003 não é completada para que você possa fazer o logon.

Nota: Em determinadas situações, como por exemplo uma queda de energia, o  Windows Server 2003 pode iniciar automaticamente o processo de verificação e correção de erros, durante a inicialização do sistema.

Comandos para a verificação e correção de erros

Além da ferramenta Verificação de erros, o  Windows Server 2003 disponibiliza os comandos chkdsk e chkntfs. A seguir mostrarei como utilizar estes dois comandos.

O comando chkdsk

Este comando é utilizado para analisar um volume e criar um relatório de status (da situação) para um disco. O relatório descreve com está o sistema de arquivos e relatas os problemas encontrados. O comando Chkdsk também lista e corrige erros no disco. Quando utilizado sem parâmetros, chkdsk exibe o status do disco na unidade atual.

Sintaxe para o comando chkdsk:

chkdsk  [volume:][[caminho] nome_de_arquivo] [/f] [/v] [/r] [/x] [/i] [/c]  [/l[:tamanho]]

A seguir apresento a descrição de cada um dos parâmetros do comando chkdsk:

  • volume: Especifica a letra da unidade (seguida de dois-pontos), o ponto de montagem ou o nome do volume. Por exemplo: C:, D:, etc.
  • [caminho] nome_de_arquivo: Especifica o local e o nome de um arquivo ou conjunto de arquivos que chkdsk deve verificar para determinar se há fragmentação. Você pode utilizar caracteres curingas (isto é, * e ?) para especificar vários arquivos. Por exemplo: C:\Documentos\*.doc, especifica todos os arquivos .DOC da pasta C:\Documentos.
  • /f : Corrige erros no disco. O disco deve ser bloqueado. Se chkdsk não puder bloquear a unidade, será exibida uma mensagem perguntando se você deseja verificar a unidade na próxima vez que o computador for reiniciado. Se você responder que sim, uma verificação será agendada para a próxima inicialização do sistema. Corresponde a opção “Corrigir erros do sistema de arquivos automaticamente”, da ferramenta Verificação de erros, descrita no tópico anterior.
  • /v:  Exibe o nome de todos os arquivos contidos em cada pasta à medida que o disco é verificado.
  • /r: Localiza setores defeituosos e recupera informações legíveis. O disco deve ser bloqueado. Se chkdsk não puder bloquear a unidade, será exibida uma mensagem perguntando se você deseja verificar a unidade na próxima vez que o computador for reiniciado. Se você responder que sim, uma verificação será agendada para a próxima inicialização do sistema. Corresponde a opção “Procurar setores defeituosos e tentar recupera-los”, da ferramenta Verificar erros, descrita no tópico anterior.
  • /x:  Use esta opção somente com partições/volumes formatados com o sistema NTFS. Ela força primeiro a desmontagem do volume, se necessário. Todos os identificadores abertos para a unidade serão invalidados. A opção /x também inclui a funcionalidade da opção /f.
  • /i : Use esta opção somente com partições/volumes formatados com o sistema NTFS. Efetua uma verificação menos rígida das entradas de índice, reduzindo o tempo necessário para a execução de chkdsk.
  • /c : Use esta opção somente com partições/volumes formatados com o sistema NTFS. Ela ignora a verificação de ciclos dentro da estrutura de pastas, reduzindo o tempo necessário para a execução de chkdsk.
  • /l[:tamanho]: Use esta opção somente com partições/volumes formatados com o sistema NTFS. Ela utilizará o tamanho digitado por você em vez do tamanho do arquivo de log. Se você omitir o parâmetro de tamanho, /l exibirá o tamanho atual.
  • /?: Exibe informações de ajuda no prompt de comando.

Para executar o comando chkdsk em um disco fixo, é preciso permissão de Administrador.

O comando chkdsk examina o espaço em disco e a utilização do disco pelos sistemas de arquivos, verifica a tabela de alocação de arquivos (FAT) e NTFS. Chkdsk fornece informações específicas de cada sistema de arquivos em um relatório de status. O relatório de status exibe os erros encontrados no sistema de arquivos. Se chkdsk for executado sem a opção de linha de comando /f em uma partição ativa, ele poderá reportar erros indesejáveis, pois não conseguirá bloquear a unidade. Você deve utilizar o comando chkdsk em cada disco periodicamente para verificar se há erros. Você pode utilizar o comando chkdsk para agendar uma tarefa que faça a verificação periódica das unidades e salve o relatório com os resultados da verificação em um arquivo de texto para verificação posterior.

O comando chkdsk só corrigirá erros de disco se você especificar a opção de linha de comando /f. É necessário que Chkdsk possa bloquear a unidade para corrigir os erros. Como a reparação geralmente altera a tabela de alocação de arquivos de um disco e, às vezes, causa perda de dados, chkdsk enviará uma mensagem de confirmação semelhante a esta:

10 unidades de alocação perdidas encontradas em 3 cadeias.
Deseja converter cadeias perdidas em arquivos?

Se você pressionar S, o Windows salvará cada cadeia perdida na pasta raiz como um arquivo com um nome no formato de arquivo nnnn.chk. Quando chkdsk for concluído, você poderá verificar esses arquivos para descobrir se contêm quaisquer dados necessários. Se você pressionar N, o Windows corrigirá o disco, mas não salvará o conteúdo das unidades de alocação perdidas.

Se você não usar a opção de linha de comando /f, chkdsk enviará uma mensagem se for necessário corrigir algum arquivo, mas não corrigirá nenhum erro.

Se você utilizar chkdsk /f em um disco muito grande (por exemplo, 70 GB) ou em um disco com um número muito grande de arquivos (por exemplo, milhões de arquivos), chkdsk poderá levar muito tempo (talvez vários dias) para ser concluído. O computador não ficará disponível durante esse período, porque chkdsk só liberará o controle depois de ser concluído.

Windows exibe relatórios de status de chkdsk referentes a um disco FAT no seguinte formato:

Volume Serial Number is B1AF-AFBF
72214528 bytes total disk space
73728 bytes in 3 hidden files
30720 bytes in 12 directories
11493376 bytes in 386 user files
61440 bytes in bad sectors
60555264 bytes available on disk
2048 bytes in each allocation unit
35261 total allocation units on disk
29568 available allocation units on disk 
Checking an NTFS disk 
Windows displays chkdsk status reports for an  NTFS disk in the following format:
The type of the file system is NTFS.
CHKDSK is verifying files...
File verification completed.
CHKDSK is verifying indexes...
Index verification completed.
CHKDSK is verifying security descriptors...
Security descriptor verification completed.
12372 kilobytes total disk space.
3 kilobytes in 1 user files.
2 kilobytes in 1 indexes.
4217 kilobytes in use by the system.
8150 kilobytes available on disk.
512 bytes in each allocation unit.
24745 total allocation units on disk.
16301 allocation units available on disk.
Ou  na versão em Português:
O  número de série do volume é B1AF-AFBF
72.214.528  bytes de espaço total em disco
73.728  bytes em 3 arquivos ocultos
30.720  bytes em 12 pastas
11.493.376  bytes em 386 arquivos do usuário
61.440  bytes em setores defeituosos
60.555.264  bytes disponíveis no disco
2.048  bytes em cada unidade de alocação
35.261  unidades de alocação totais no disco
29.568  unidades de alocação disponíveis em disco
O  Windows exibe relatórios de status de chkdsk referentes a um disco NTFS no seguinte  formato:
O  tipo do sistema de arquivos é NTFS.
CHKDSK  está verificando os arquivos...
Verificação  de arquivos concluída.
CHKDSK  está verificando índices...
Verificação  dos índices concluída.
CHKDSK  está verificando os descritores de segurança...
Verificação  de descritores de segurança concluída.
12.372  quilobytes de espaço total em disco.
3  KB em 1 arquivo do usuário.
2  KB em 1 índice.
4.217  KB em uso pelo sistema.
8.150  KB disponíveis em disco.
512  bytes em cada unidade de alocação.
24.745  unidades de alocação totais no disco.
16.301  unidades de alocação disponíveis em disco.
Usando  chkdsk com arquivos abertos 

Se você especificar a opção de linha de comando /f, chkdsk enviará uma mensagem de erro se forem encontrados arquivos abertos no disco. Se você não especificar a opção de linha de comando /f e existirem arquivos abertos, chkdsk poderá reportar a existência de unidades de alocação perdidas no disco. Isso poderá acontecer se os arquivos abertos ainda não tiverem sido gravados na tabela de alocação de arquivos. Se chkdsk reportar a perda de uma grande quantidade de unidades de alocação, á aconselhável reparar o disco.

A seguir temos a lista com os códigos de saída reportados por chkdsk após sua conclusão.

  • 0: Não foram encontrados erros.
  • 1:  Foram encontrados erros e corrigidos.
  • 2: A limpeza de disco, como a coleta de lixo, foi efetuada, ou a limpeza não foi efetuada porque /f não foi especificado.
  • 3: Não foi possível verificar o disco, não foi possível corrigir os erros ou os erros não foram corrigidos porque a opção /f não foi especificada.

Para verificar o disco na unidade C e fazer com que o Windows corrija os erros, digite:

chkdsk  C: /f

Chkdsk fará uma pausa e exibirá mensagens, se encontrar erros. Chkdsk será concluído exibindo um relatório que lista o status do disco. Você só poderá abrir qualquer arquivo na unidade especificada depois que chkdsk for concluído.

O comando chkntfs

Este comando é utilizado para exibir ou especificar se a verificação automática do sistema está agendada para ser executada em um volume FAT, FAT32 ou NTFS quando o computador for iniciado.

Sintaxe para o comando chkntfs:

chkntfs  volume: [/opções]

A seguir descrevo os parâmetros/opções do comando chkntfs:

  • volume: [...]: É obrigatório. Especifica a letra da unidade (seguida de dois-pontos), o ponto de montagem ou o nome do volume. Exibe uma mensagem que identifica o sistema de arquivos do volume especificado. Se a verificação automática de arquivos estiver agendada para ser executada, este parâmetro exibirá uma mensagem indicando se o volume foi ou não corrompido, o que exigirá que o comando chkdsk seja executado. O comando chkdsk foi descrito no item anterior.
  • /d: Restaura todas as configurações padrão de chkntfs, com exceção do tempo de contagem regressiva para a verificação automática de arquivos. O comportamento padrão é verificar todos os volumes quando o computador é iniciado.
  • /t[:tempo]: Altera o tempo de contagem regressiva inicial de Autochk.exe para o tempo especificado em segundos. Se você não especificar :tempo, /t exibirá o tempo de contagem regressiva atual.
  • /x volume: [...]: Exclui o volume especificado da verificação quando o computador é iniciado, mesmo se o volume estiver marcado de modo a exigir que chkdsk seja executado.
  • /c volume: [...]: Agenda a verificação do volume especificado para quando o computador for iniciado.
  • /?: Exibe informações de ajuda no prompt de comando.

Para executar chkntfs, é necessário que você tenha permissão de Administrador.

Embora você possa definir o tempo de contagem regressiva inicial de Autochk.exe como zero, não será possível cancelar uma verificação automática de arquivos que levará provavelmente muito tempo se você defini-lo como zero.

Por exemplo, para agendar uma verificação automática para o drive D:, quando o sistema é inicializado,  utilize o seguinte comando:

chkntfs /c D:


Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory - Curso Completo, 2100 Páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!

Promoção: Livro Windows Server 2012 R2 e Active Directory

Curso Completo, 2100 páginas. Tudo para você se tornar um administrador de redes altamente qualificado para o mercado de trabalho e levar a sua carreira para o próximo nível!


« Lição anterior Δ Página principal ¤ Capítulos Próxima lição »

Best Sellers de Excel do Julio Battisti

Todos com Vídeo Aulas, E-books e Planilhas de Bônus!

Aprenda com Júlio Battisti:
Excel 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos - Passo a Passo

 Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 540 | Editora: Instituto Alpha

 

[Livro]: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Básico em 140 Lições - Através de Exemplos Práticos

Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados, Tabelas Dinâmicas, Funções Avançadas, Macros e Programação VBA - Passo a Passo

Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados, Tabelas Dinâmicas, Funções Avançadas, Macros e Programação VBA - Passo a Passo

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 952 | Editora: Instituto Alpha

 

Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados, Tabelas Dinâmicas, Funções Avançadas, Macros e Programação VBA - Passo a Passo

Aprenda com Júlio Battisti: Macros e Programação VBA no Excel 2010 Através de Exemplos Práticos e Úteis - Passo a Passo

 

[LIVRO]: Aprenda com Júlio Battisti: Macros e Programação VBA no Excel 2010 Através de Exemplos Práticos e Úteis - Passo a Passo

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 1124 | Editora: Instituto Alpha

 

[LIVRO]: Aprenda com Júlio Battisti: Macros e Programação VBA no Excel 2010 Através de Exemplos Práticos e Úteis - Passo a Passo

Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 - Curso Completo - Do Básico ao Avançado, Incluindo Macros e Programação VBA - Através de Exemplos Práticos

 

[A BÍBLIA DO EXCEL]: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 - Curso Completo - Do Básico ao Avançado, Incluindo Macros e Programação VBA - Através de Exemplos Práticos Passo a Passo

 

Autor: Júlio Battisti | Páginas: 1338 | Editora: Instituto Alpha

 

[A BÍBLIA DO EXCEL]: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 - Curso Completo - Do Básico ao Avançado, Incluindo Macros e Programação VBA - Através de Exemplos Práticos Passo a Passo

Todos os livros com dezenas de horas de vídeo aulas de bônus, preço especial (alguns com 50% de desconto). Aproveite. São poucas unidades de cada livro e por tempo limitado.

Dúvidas?

Utilize a área de comentários a seguir.

Me ajude a divulgar este conteúdo gratuito!

Use a área de comentários a seguir, diga o que achou desta lição, o que está achando do curso.
Compartilhe no Facebook, no Google+, Twitter e Pinterest.

Indique para seus amigos. Quanto mais comentários forem feitos, mais lições serão publicadas.

Quer receber novidades e e-books gratuitos?
›››

Novidades e E-books grátis

Fique por dentro das novidades, lançamento de livros, cursos, e-books e vídeo-aulas, e receba ofertas de e-books e vídeo-aulas gratuitas para download.



Institucional

  • Quem somos
  • Garantia de Entrega
  • Formas de Pagamento
  • Contato
  • O Autor
  • Endereço

  • Júlio Battisti Livros e Cursos Ltda
  • CNPJ: 08.916.484/0001-25
  • Rua Vereador Ivo Cláudio Weigel, 537 Universitário
  • Santa Cruz do Sul/RS
  • CEP 96816-208
  • Todos os direitos reservados, Júlio Battisti 2001-2017 ®

    [LIVRO]: MACROS E PROGRAMAÇÃO VBA NO EXCEL 2010 - PASSO-A-PASSO

    APRENDA COM JULIO BATTISTI - 1124 PÁGINAS: CLIQUE AQUI